domingo, 1 de março de 2009

Entrevista com Urban War

Um dos nomes mais promissores saídos do underground nacional em 2008 foram os jovens portuenses Urban War. Com uma explosiva mistura de metal, progressivo, hardcore e death metal onde os vocais limpos e as guitarras acústicas surpreendem pela sua elevada classe, o seu EP de estreia, Who's Watching You? promete colocar a banda num patamar elevado de reconhecimento. Fomos conversar com a banda para conhecer melhor o seu passado e perspectivar o seu futuro.
--
Sendo uma banda relativamente jovem do underground nacional podem fazer uma breve apresentação do vosso projecto?
Somos uma banda da cidade do Porto que surgiu no final de 2005, constituída por 4 elementos vindos de backgrounds sociais completamente diferentes. O facto de não nos conhecermos antes da formação da banda fez com que cada um trouxesse as suas influências musicais muito distintas, sempre com o Metal como base, o que deu origem à sonoridade de Urban War. O nosso ponto forte são as actuações ao vivo, pela energia que conseguimos transmitir ao público.

Who’s Watching You? foi editado em meados de 2008. Como está a ser o feedback recebido?
O feedback tem sido bastante positivo tendo em conta que toda a concepção foi da nossa inteira responsabilidade. Desde a data de lançamento do E.P. temos ouvido boas críticas, temos notado uma maior afluência de público nos nossos concertos, e muita gente já canta as nossas músicas. Tudo isto nos dá força e faz com que nos sintamos orgulhosos com este trabalho.

Sendo o vosso trabalho de estreia estão totalmente satisfeitos com o resultado final?
Totalmente satisfeitos nunca poderemos estar, tendo em conta sermos ambiciosos e querermos fazer sempre mais e melhor. O facto é que este E.P. tem-nos aberto novos horizontes e com isso, temos pisado palcos maiores e sentido uma maior adesão do público ao nosso projecto. De qualquer modo, estamos muito satisfeitos com o resultado final, especialmente por ser fruto de um grande esforço inteiramente feito por nós.

Ao afirmarem que este EP procura mostrar a diversidade da banda e definir a vossa sonoridade, podemos depreender que um dos objectivos desta edição era, também, o de apresentação às editoras?
O objectivo principal centrou-se em mostrar às pessoas o nosso trabalho, quer na qualidade de som, quer na apresentação do E.P. Deste modo podemos apresentar o nosso cartão de visita Who’s Watching You? com confiança a quem quer que seja, desde o público em geral até às editoras, produtoras, managers, revistas, estações de rádio, etc...

Vocês definem-se como uma banda de metal/hardcore/alternativo. Qual das vertentes se torna mais importante no vosso processo de composição?
Na verdade, sempre tivemos alguma dificuldade em responder a perguntas acerca do nosso estilo musical. Tal como já referimos, somos elementos com backgrounds bastante distintos e acabamos por misturar as influências de cada um, resultando em algo diferente do que costumamos ouvir. Não ouvimos as pessoas dizer que os Urban War são parecidos com esta ou com aquela banda. Daí, ao metal, que é a base das nossas influências, juntamos o alternativo e outras vertentes para dar um pouco a ideia de diversidade sonora.

Tanto pelo vosso nome, como pela capa do CD dá a sensação que os problemas sociais dos grandes centros urbanos é uma prioridade em termos de conceitos abordados. É verdade?
Nós abordamos tudo o que nos rodeia, desde os problemas sociais que nos revoltam até experiências vividas por nós que, de alguma forma, são reflexo da sociedade em que vivemos. Esta é a forma que encontramos para exprimir aquilo que sentimos quando olhamos ao nosso redor e queremos fazer algo em relação a alguma situação e não conseguimos. Gostamos sempre de ter uma palavra a dizer acerca de tudo isto e fazemo-lo através da nossa música.

Sendo certo que o panorama hardcore está, actualmente, saturado, que argumentos podem jogar a favor dos Urban War para se destacarem?
O hardcore é apenas um elemento que se insere num pilar principal que é o metal, sendo que acabamos por nos diferenciar um pouco por termos uma sonoridade muito própria. Damos sempre o máximo nas actuações ao vivo e tentamos estabelecer uma boa relação entre o público e a banda.

Estando, ainda, no começo que objectivos definem para os Urban War?
Neste momento, o nosso principal objectivo é continuar a divulgação do E.P. Who’s Watching You?, apostando em melhores concertos em grandes palcos, contando com uma maior afluência de público. Temos estado já há algum tempo a trabalhar na gravação de um vídeo clip e, embora ainda sem editora, planeamos a gravação de um álbum.

Sem comentários: