segunda-feira, 18 de maio de 2009

Review: Shallow Life (Lacuna Coil)

Shallow Life (Lacuna Coil)
(2009, Century Media)


Shallow Life é já o quinto álbum dos transalpinos Lacuna Coil, uma banda com uma estabilidade invejável, uma vez que mantém o seu line up inalterado há dez anos. Isto permite-lhe, obviamente, uma coesão entre os seus elementos que é perfeitamente notória nos seus lançamentos. Além dessa coesão, outra das suas características é a capacidade de se reinventar e conseguir criar álbuns diferentes. Uma vez ultrapassada a fase negativa de, infantilmente, se quererem comparar aos Evanescence, como aconteceu com Karmacode, a banda recuperou forças e voltou para mostrar que aquilo foi apenas e tão só um acidente de percurso. Claro que a tentativa de criar um som que entrasse no mercado norte-americano voltou a estar na mira da banda, mas desta feita foi alcançada, muito por acção da produção de Don Gilmore, homem que já trabalhou com Linkin Park ou Avril Lavigne. A banda acabou por conseguir os objectivos não com base numa cópia de algo muito inferior a eles, mas a partir de um aproveitamento do que já tinha feito de bom no passado. No fundo o que Shallow Life nos propõe é um cruzamento, bem interessante, das melodias e passagens mais melancólicas criadas em Unleashed Memories (para nós, ainda o melhor álbum da carreira dos Milaneses) com uma sonoridade moderna, poderosa em alguns momentos, ritmada e plena de picuinhices electrónicas, onde temas como Underdog ou The Pain mostram como a banda consegue explorara novas sonoridades. A melodia infantil que abre o álbum é, nesse aspecto, puramente ilusória, uma vez que a música actual dos Lacuna Coil é bem adulta. Os temas são relativamente curtos (raramente chegam aos 4 minutos), dando, por vezes, a sensação que falta algo na música. E bem vistas as coisas os solos continuam a não estar presentes (o primeiro verdadeiramente digno desse nome só surge na oitava faixa). Mas também já se sabe que esse apontamento técnico nunca foi muito usado pelos transalpinos e nem por isso os seus temas deixam de ter emotividade qb. Emotividade essa muito explorada pelo belíssimo timbre vocal de Cristina Scabbia que, neste trabalho, é menos açambarcadora, ou seja, Andrea Ferro tem mais protagonismo vocal que nos álbuns anteriores. E ainda bem, porque torna a música mais diversificada, sendo que o vocalista tem evoluído imenso no seu desempenho.

Tracklisting:
1. Survive
2. I Won’t Tell
3. Not Enough
4. I’m Not Afraid
5. I Like It
6. Underdog
7. The Pain
8. Spellbound
9. Wide Awake
10. The Maze
11. Unchained
12. Shallow Life


Lineup: Cristina Scabbia (vocais), Andrea Ferro (vocais), Cristiano Migliore (guitarra), Marco Biazzi (guitarra), Marco Coti Zelati (baixo) e Cristiano Mozzati (bateria)
Website: www.lacunacoil.it
Myspace: www.myspace.com/lacunacoil
Edição: Century Media (www.centurymedia.de)
Nota VN: 14,3 (8º)

Sem comentários: