Review: Tenkterra (Obscurity)

Tenkterra (Obscurity)
(2010, Trollzorn)

Originários da Alemanha, os Obscurity são praticantes de um black/viking metal de carácter técnico-melódico. Tenkterra, edição deste ano, é o quinto trabalho de estúdio do quinteto (segundo para o selo germânico Trollzorn) e aborda tematicamente a história céltico-germânica da região de Bergisches Land, no seu país. Musicalmente, a banda aposta em cruzar o seu lado viking de nomes como Turisas com a facção menos crua do black metal. O resultado é surpreendente, pela capacidade que a banda tem em criar excelentes harmonias (com destaque para Tenkterer, Blut fur Blut ou Raubzug der Sugambrer) e linhas melódicas. Ainda assim, Tenkterra mostra-se um álbum forte, poderoso e, quase sempre, rápido. Por vezes balanceado (V Legion), por vezes mais tribal (Grenzland) mas sempre numa linha orientadora bem definida e bem executada. Tenkterer, acaba por ser a faixa mais interessante, com largas reminiscências Slayer e com um belíssimo breakdown acústico. No entanto, a principal característica de Tenkterra acaba por ser a sua homogeneidade. Trata-se de um trabalho muito linear, muito nivelado por cima, e de um nível superior ao que se tem feito ultimamente neste espectro.

Tracklist:
1. Keltiwald
2. Tenkterer
3. Keldagau
4. Blut fur Blut
5. Raubzug der Sugambrer
6. V Legion
7. Germanicus’ Rache
8. Brukterer
9. Grenzland
10. Bergischer Hammer

Line Up:
Agalaz – vocais
Cortez – guitarras
Dornaz – guitarras
Ziu – baixo
Arganar – bateria

Internet:

Edição: Trollzorn

Comentários