segunda-feira, 17 de janeiro de 2011

Entrevista - Vinder


Para os amantes do bom e puro heavy metal, como manda a tradição do NWOBHM, os Vinder são uma excelente opção a ter em conta como o prova Vertigo, segundo trabalho da banda germânica composta por elementos com uma larga experiência na área e com passagens por nomes como The Armada, Tyran’ Pace ou Sinner. Dirk Shaffer, vocalista, apresenta-nos o grupo, os álbuns (o anterio, o actual e o que já vem a caminho) e a história de Vincent O’Leary. Para conferir.

Vocês já todos pertenciam a algumas bandas no vosso país. Porque sentiram a necessidade de criar uma nova banda?
Mesmo no nosso tipo de música, há sempre uma evolução, que contém a necessidade, para fazer algo diferente de vez em quando. E isso nem sempre funciona com os membros das bandas onde tocavas. Portanto, às vezes temos que formar uma nova banda, fazer o que queremos fazer. Foi isso que fizemos com os Vinder.

Mas, antes, existiram os Buster. Estes foram os precursores de Vinder?
Não, antes dos Vinder cada membro pertencia a outras bandas. No meu caso era nos The Armada. Encontramo-nos, verificámos que as coisas encaixavam bem e avançámos. Mas não tivemos muito tempo para planear os Vinder.

Em que é diferente Vertigo de Visions Of Time?
Visions Of Time foi um pouco mais sujo, com riffs mais agressivos e, também, um pouco mais rápido. É a tal evolução musical que falava antes. Com Vertigo fomos capazes de fazer algo novo, sem trair a ideia que nos fez criar os Vinder.

Notam-se algumas influências NWOBHM nos vossos temas. Elas são espontâneas ou trabalham as músicas para terem esse sentimento?
Eu acho que se podem ouvir sempre algumas influências de bandas ou estilos. Um estilo totalmente diferente e novo, não é possível de ser criado. Como cada nota já foi tocada antes, nós usamos as mesmas numa nova arquitetura.

Vertigo é um álbum conceitual sobre a história de Vincent O'Leary. Podes contar um pouco dessa história?
Após alguns anos, Vincent recebe uma carta, na qual está escrito, que seu pai morreu na prisão e que ele se torna dono da casa onde nasceu. Ele não se lembra bem da sua juventude e por isso decide regressar no tempo e conhecer o seu passado, sem saber, no entanto, que este percurso lhe vai abrir as portas para alguns segredos muito obscuros.

Ainda este álbum Vertigo não foi lançado e já se pode ler no vosso myspace que um novo álbum está a caminho, Vitruvian Man. O que nos podes adiantar, desde já, sobre este novo trabalho?
Pouco, a não ser que será um álbum muito poderoso. Mas vocês irão ouvir, quando for lançado.

E já está alguma coisa preparada para levarem Vertigo para a estrada?
Isso depende da reação do público. Claro que vamos tocar ao vivo, mas onde e quando, deixo para vocês descobrirem no nosso myspace quando for a altura certa.

Sem comentários: