Review: Never Be Tamed (Conflicted)

Never Be Tamed (Conflicted)
(2011, Nightmare)

Intenso e enérgico, num cruzamento entre power metal e o progressivo este é o impressionante álbum de estreia para os Conflicted. Never Be Tamed apresenta um conjunto de músicas viciantes, instantaneamente memoráveis e com performances virtuosas. Alguns adjetivos podem descrever Never Be Tamed: metal e clássico. Gritos e sussurros. Técnica e emoção. Termos, aparentemente em contradição, mas demonstrativos do poder de fusão desta banda canadiana. Oriundos de Toronto, onde se formaram em 2008, e já com 2 EP’s muito bem recebidos pela crítica, os Conflicted criam, então, uma categoria de música que se pode enquadrar entre o moderno progressivo e o power metal através da combinação de uma elevada capacidade técnica, um fervor pelo volume e um poder assinalável. Que é como quem diz, podem ouvir-se aqui referências quer a Dream Theater, quer a Symphony X. Mas também a Iced Earth, Iron Maiden ou Judas Priest. Ou mesmo a King Diamond ou Voivod. Com um vocalista que tanto tem de ferocidade como de emoção e um guitarrista virtuoso e com influências neo-clássicas, os Conflicted assentam, depois, a sua música nas atmosferas sinfónicas criadas pelos teclados magistrais. Na secção rítmica, o baixo lidera os pormenores melódicos, enquanto a bateria é atacada de forma forte e precisa. O resultado é Never Be Tamed um álbum forte em termos estruturais e rítmicos e, também, forte no campo emocional. E, acima de tudo, um disco que não se limita a seguir as regras definidas, mas que se consegue reinventar a cada faixa.

Tracklist:
1. After Too Long
2. Never Be Tamed
3. Victor(ia)
4. Fallen
5. The Hand Of God
6. Stay
7. Heat Me Up
8. I Wish. I Remember.
9. Alive
10. Torment
11. Release

Line-up:
Jason Orton - Vocais
Mark Owen - Guitarras
Ron De Coste – Teclados
John Kolodziej - Baixo
Corey Stoll - Bateria

Internet:

Edição: Nightmare

Comentários