Review: Bridger (Bridger)

Bridger (Bridger)
(2011, Escape Music)

Este é o novo projeto de Glen Bridger (Head East) que, reunindo um conjunto de nomes mais ou menos sonantes, entre os quais Terry Ilous (XYZ, Great White) nos vocais e Sam McCaslin (Michael Schenker, Carmine Appice) nos teclados, apresenta a sua estreia numa forma promissora. Este é um disco que recorre a nomes como Great White ou Mr. Big e que, claramente, pode ser dividido em duas partes. Com um começo forte, a primeira metade é a melhor conseguida, com temas bem escritos e suficientemente diversificada para manter a atenção do ouvinte. Desde a abertura rockeira com Tuesday Afternoon, até à balada acústica Without A Sound, passando pela bluesy On The Ledge, pela dinâmica e possante Don’t Push Me e, fundamentalmente, por How Long, a melhor faixa do disco, este é um inicio fulgurante de bom hard rock clássico. No entanto, a partir daí a banda deixa morrer um pouco a sua expressividade, apresentando um conjunto de temas mais banais, onde, apesar de tudo se destaca o hammond de Good To Be Home. Mas é neste último setor que encontramos a faixa mais crua e pesada, na forma de Gonna Get Better e a faixa mais calma na curta Once In A Lifetime conduzida por piano e guitarra acústica. De uma forma emotiva e sentida, Bridger fecha com uma excelente versão (a inclusão de ligeiros apontamentos eletrónicos revela-se fantástica!) de Heaven And Hell, numa mais que justa homenagem à voz do Metal, Ronnie James Dio.

Tracklist:
01. Tuesday Afternoon
02. How Long
03. On The Ledge
04. Don’t Push Me
05. Without A Sound
06. Free
07. Live For The Moment
08. Good To Be Home
09. Gonna Get Better
10. Once In A Lifetime
11. Heaven And Hell

Line-up:
Terry Ilous: vocais
Glen Bridger: guitarras
Greg Manahan: baixo
Danzoid: bateria
Sam McCaslin: teclados

Internet:

Edição: Escape Music

Comentários