Entrevista: Chaos In Paradise

Depois de um EP/demo que permitiu aos Chaos In Paradise percorrer o país em frenéticos concertos, a banda personalizou o seu som, cresceu, amadureceu e surgiu em 2011 completamente rejuvenescida. Let The Bliss Remain não deixou ninguém indiferente à evolução do coletivo portuense e à força e à personalidade que imprime às suas novas composições. O guitarrista Alex explica o crescimento da banda.

Depois do sucesso alcançado com a vossa demo de estreia, de que forma encaram a composição deste novo trabalho? Muita pressão?
O processo de composição ocorreu de maneira muito natural e semelhante à composição da demo. Nessa ainda estávamos a tentar criar a nossa própria identidade sonora e para o EP já sabíamos aquilo que queríamos fazer. Quisemos experimentar coisas novas, tivemos em conta as nossas novas influências e fomos mais rigorosos na escolha das ideias com que avançamos e nas que deixamos para trás.

Desde a edição de Chaos In Paradise, vocês não ficaram parados e fizeram-se à estrada. Como foi essa experiência e de que forma todo o conjunto de espetáculos se refletiu na criação de novos temas?
Fizemo-nos à estrada após o lançamento da demo e tocámos de norte a sul do país, daí resultou uma maior consistência e união como banda. A experiência de ouvir e conhecer novas bandas, algumas já com muita experiência, foi muito enriquecedora. Deram-nos muitas dicas e aprendemos em primeira mão o que se deve e o que não se deve fazer, tanto em palco como em estúdio.

Penso que será unânime a consideração que vocês deram um significativo salto qualitativo. Na vossa opinião, tal ficar-se-á a dever a quê?
A banda evoluiu muito como grupo e a nível individual durante o tempo em que estivemos na estrada e o facto de não termos sofrido mudanças de line-up durante esse percurso também ajudou imenso, pois permitiu que todos os membros continuassem a explorar mutuamente o som da banda até chegar ao produto que é hoje. Penso que será correto dizer que durante a composição houve uma maior entrega por parte de cada um de nós na composição de Let the Bliss Remain. Não podemos esquecer de mencionar o nosso coprodutor Paulo Lopes que deu vida ao nosso trabalho e fez a banda soar exatamente como queríamos.

Suponho que as vossas expectativas para este trabalho sejam bastante altas. Como está a ser até agora, apesar de ser ainda cedo, o feedback?
O feedback está a ser excelente e graças a isso temos recebido encomendas dos Estados Unidos e da Europa o que nos está a trazer comentários muito lisonjeadores, e mais seguidores estrangeiros atentos aos Chaos in Paradise. Quem já nos conhecia ficou surpreendido com a evolução e a qualidade de Let the Bliss Remain mas sobretudo com o peso que a banda ganhou com a adição de novos elementos, como os screams da Sara e os riffs com mais groove, ao som dos Chaos in Paradise.

Desta vez optaram por um formato mais profissional. Como decorreram as coisas nos Soundvision Estudios em Vila do Conde?
As gravações correram muito bem, o Paulo Lopes é uma pessoa descontraída, muito fácil de trabalhar e acima de tudo sabe o que está a fazer. Tivemos tempo de sobra para brincadeira e para trabalhar a sério. Só temos bem a dizer do Paulo e do Soundvision! Sem dúvida alguma fizemos a escolha acertada quando escolhemos o Paulo para gravar, coproduzir, misturar e masterizar o nosso EP.

Há um ano atrás falam de ser ainda cedo para surgir uma editora. Agora com um EP com esta qualidade pensam que poderá ser agora a altura ideal? Nesse particular, já existem proposta em cima da mesa para discutir?
Antes do EP ser editado já haviam propostas em cima da mesa de editoras Portuguesas e estrangeiras, mas decidimos recusar e editar nós mesmos simplesmente porque as propostas têm de ser vantajosas para os dois lados. Agora com mais experiência e trabalho demonstrado podemos fazer um melhor pacote promocional e fazê-lo chegar a algumas editoras e esperar por propostas que sejam benéficas para os Chaos in Paradise e para a editora.

Sendo os Chaos In Paradise uma banda muito dinâmica e empreendedora, o que já estão a planear no sentido de levar Let The Bliss Remain para a estrada?
Para já, estamos a tratar da promoção online e a preparar e marcar concertos para 2011. Acabamos de disponibilizar o nosso single Awareness para download gratuito através da nossa página no Reverbnation, este tema vai também fazer parte de algumas compilações portuguesas e estrangeiras, sendo que uma delas a compilação Light-Bearers da Infektion Magazine saiu no passado dia 1 de agosto. Estamos também a tratar do videoclip da Sanzu River, a última música do nosso EP, que será filmado durante o outono de 2011 após as merecidas férias.

Comentários