Entrevista: No Sky Today

Wayne Findlay é um músico experiente com passagens de destaque na Michael Schenker Group, Slavior e Vinnie Moore Band. Da sua junção com Paul Jones nasceram os No Sky Today (NST), uma colossal máquina de produção de heavy metal cheio de groove. O próprio guitarrista acedeu a falar-nos deste seu novo projeto e do seu álbum de estreia.

Como nasceu este teu novo projeto?
Esta banda começou comigo na escrita/produção de todas as músicas e Paul Jones a escrever todas as letras/melodias vocais. O Scotty Phillips e Kelly Garni acabaram, também por adicionar as suas influências. Eu acho que este é um impressionante primeiro registo.

Porquê No Sky Today? Existe alguma explicação para o nome da banda?
Foi a primeira faixa que o Paul escreveu e de passagem durante o jantar, eu perguntei: "O que vamos chamar a banda? No Sky Today?" Todos se entreolharam e disseram SIM!

Quais são as vossas principais influências?
Há imensas para enumerar, mas… algumas das minhas influências são bastante variadas: inicialmente, Bach, Beethoven, Mozart, Debussy… Kiss, Van Halen, Zepp, Scorpions, Judas Priest, Black Sabbath, MSG, Rush, Hendrix, Iron Maiden, Yngwie, Racer-X ,Vinnie Moore, Cacophony, Red Hot Chili Peppers, STP e ao mesmo tempo, uma grande influência do funk ... Earth, Wind and Fire, Sly Stone, James Brown, Commodores, The Gap Band, Parliament. E outras influências como Marley, Elton John, Boston, Messhugah, Rammstein, Chemical Brothers, música havaiana, Slack Key, Kravitz, Clutch, DreamTheater, Deep Purple, para nomear apenas alguns.

No Sky Today foi lançado, originalmente, em 2010. Porquê esta lacuna de tempo para a distribuição europeia?
O álbum foi lançado em novembro, no final de 2010, ou seja há dez meses. Mas temos feito grandes avanços com a ajuda do Marjo Verdooren e da Metal Revelation!

Sobre o álbum, como o vês e sentes? Estão totalmente satisfeitos com o produto final?
Para um primeiro álbum, eu acho que ficou muito bom. Estou muito orgulhoso dele e de toda a energia que todos colocaram nele. Mas devo confessar, eu sinto que o próximo álbum vai ser ainda melhor. Acho que vai ser mais pesado e mais profundo do que este.

Este é um lançamento Capital City Music Factory. É o vosso próprio selo, certo? Consideram que esta é a melhor maneira de se promoverem a vocês mesmo?
Sim, esta etiqueta é gerida pelo nosso manager Frank Powers. Considerando o atual momento económico, este foi o melhor caminho para os No Sky Today editarem a sua música. Se não fosse o Frank, este registo teria levado muito mais tempo a ser concluído. Ele foi e é uma parte crucial da equação.

A propósito, a CCMF está a trabalhar com mais algum projeto?
Não tenho certeza de tudo em que o Frank Powers/CCMF trabalha... Com ele há sempre alguma a acontecer...

Já foram considerados como a próxima banda a levar em linha de conta. Como reagem a essas observações?
Concordo com elas! Já começamos a pré-produção e eu acho que o próximo álbum vai ser num nível ainda mais elevado.

Recentemente redefiniram o vosso line up. Quem está nos No Sky Today atualmente?
Realmente, tivemos algumas mudanças mas a partir de agora os No Sky Today são Wayne Findlay (Michael Schenker Group/Slavior/Vinnie Moore Band) nas guitarras e teclados, Paul Jones (Robot Lords Of Tokyo) na voz e Joe Viers (RLOT) no baixo. Quanto ao baterista para o próximo álbum será anunciado em breve. Fiquem atentos.

Também recentemente fizeram uma mini tournée pelos EUA. Correu tudo bem?
Foi uma grande tournée pelo Midwest para os NST. Todos nós tivemos grandes momentos e estamos ansiosos para ver o filme que gravámos em Chicago para o nosso próximo vídeo! Estará em breve no Youtube!

Outro bom exemplo da vossa popularidade é a escolha por parte da Touchstone Digital dos vossos temas para as jukeboxes o que vai permitir que vossas músicas toquem em mais de 40 mil bares e restaurantes em toda a América. Que efeito teve esta notícia nos NST?
Bem... É uma grande honra e um privilégio para nós irmos a um clube local, bar ou restaurante distante e colocar a música dos No Sky Today com o volume no máximo. O nosso vocalista Paul Jones foi o responsável por essa fantástica ligação.Tem sido um grande impulso e uma experiência única para todos nós!

Comentários