domingo, 18 de setembro de 2011

Entrevista: Saracen

Se o conceptual Vox In Excelso, de 2006, já tinha recebido excelentes reações, Marylin, mais um álbum conceptual, desta feita, em torno da vida de Marylin Monroe, coloca de uma forma inquestionável os veteranos Saracen no trono do hard rock europeu. O guitarrista Rob Bendelow, um dos membros fundadores e mentor da banda, fala-nos do ressurgimento dos Saracen e desta pérola que assinam para a Escape Music – Marylin.

Antes de mais, parabéns pelo vosso excelente álbum, na minha opinião um dos melhores de 2011. Como definiriam este Marylin?
Em primeiro lugar, obrigado pelas tuas palavras amáveis – apreciamos muito. O nosso álbum Marilyn tenta contar a história real da vida do ícone de Hollywood, através de música e letras. Alguns aspetos são "gravada na pedra", como sua infância como órfã e/ou seu sucesso "instantâneo" como modelo. Em comparação, outros elementos são menos preto-e-branco, caso em que optámos pela versão mais provável da verdade, que é a história que contamos. A vida de Marilyn foi certamente um passeio de montanha russa e nós tentamos refletir isso nas nossas músicas.

Marilyn é, pois, um álbum conceptual sobre a vida de Marilyn Monroe. A partir de que ponto de vista vocês pensaram nesta história?
Tentamos contar a história de várias perspetivas. Algumas canções são narrativas, por exemplo, com a contribuição do ponto de vista da comunicação social ou do público em geral - seus fãs. Grace McKeen, que foi responsável legal da jovem Norma Jean, classificou a canção Hold On como uma faixa de caráter. Love Like A Razorblade é em torno de Joe DiMaggio, seu segundo marido. Cinco das músicas contam a sua parte da história através da própria Marilyn! Essas músicas são todas cantadas pela americana Robin Beck.

Neste álbum, vocês têm vários convidados que desempenham um papel importante, na minha opinião. Como se processou o contacto com cada um deles e de que forma contribuíram para o resultado final?
Correto. Enquanto compunha algumas das músicas apercebi-me que precisávamos de uma mulher (por assim dizer!)... porque algumas das canções simplesmente tinham que contar a sua parte da história nas próprias palavras de Marilyn. A inspiração era muita. Então aproximei-me do meu amigo, o lendário, Bruce Mee para sugestões. Bruce demorou cerca de três nano-segundos para gritar Robin Beck. Ele também intermediou o encontro de forma a que eu e Robin começássemos a trabalhar juntos de imediato. Robin enquadrou-se perfeitamente – ele é fantástica! E surpreendia em cada música. Começámos com Make This Body Work e de seguida a faixa-título. Karensa e Richard gravaram as linhas vocais e Robin trabalhou sobre elas. Depois veio a balada acústica Not For Sure - o tema favorito das reviews até agora - onde eu acho que se abriram novos caminhos. Achei a atitude de Robin sozinha inspiradora, foi muito especial. Nós já tínhamos gravado o dueto Who Am I com o filho de Richard (e com Robin) e Hold On com Karensa. A Escape, no entanto, viu a oportunidade para convidar Steve Overland e Issa (respetivamente) para assumir essas músicas, trazendo seus indiscutíveis talentos. Mas, para mim, o mais importante foi que tanto o Richard como Karensa estavam confortáveis com o switch. Karensa nunca previu fazer qualquer dos vocais em Marilyn, enquanto Rich ainda se mantinha noutros dois temas. Mas não devemos esquecer que as harmonias sobrepostas do álbum todo vêm da cortesia deles. Estou muito satisfeito com resultado final. As diferentes vozes contribuem imensamente para a narração de histórias em que eu acredito.

Ou seja, diversos convidados em vários temas. Eles não irão para palco convosco. Como será?
Pois, infelizmente não. Marylin será executar ao vivo como o nosso tradicional quinteto. Duas faixas do álbum deverão ser adicionadas ao nosso espetáculo em breve.

Reparei que vocês têm atuado com alguma regularidade no vosso país. E sair para o continente?
A XIV edição do Festival Keep It True, realizada em Tauberfrankenhalle (Alemanha), foi uma experiência nova para Saracen, pois nunca tínhamos tocado fora do Reino Unido antes ... e que experiência! A banda foi totalmente esmagada pela grande afluência de fãs para ver o nosso espetáculo Heroes, Saints & Fools. As palavras não podem expressar o privilégio que foi fazer parte desse festival. Foi incrível como a multidão conhecia as letras das músicas, especialmente a de Heroes, Saints & Fools. Penso que essa foi a música que eles mais estavam à espera de ouvir. Um fã disse-nos que tinha esperado 30 anos para ouvir a banda tocar Heroes, Saints & Fools. É certamente um país e um festival que nós gostaríamos de visitar novamente. Foi brilhante! Em breve, esperamos fazer mais festivais em outros países.

Estando ativos desde a década de 70 como vêm o crescente interesse na cena hard rock?
Bem… é certamente bom de ver. Havia aqueles que achavam que o rock estava morto quando o flagelo do punk se espalhou como uma doença no final dos anos 70. A música é diferente agora, é claro, como deverá ser. Há menos ênfase nos instrumentos e ainda mais nos vocais. Muito do rock de hoje provavelmente poderíamos classificar como pop-rock, mas é bom de ver/ouvir. Também é bom ver que as bandas de rock original ainda estão aí, trazendo a tradição da década de 70 para públicos novos e antigos. O meu herói pessoal - Tony Iommi - ainda está forte, depois de quatro décadas no topo!

Podemos considerar que os Saracen começaram uma nova vida com a assinatura com a Escape Music?
Com certeza. Foi Bruce (de novo) que nos apresentou à Escape Music. Eles são uma equipa muito profissional e comprometida. Em poucos meses já tinham lançado o CD duplo de Red Sky e Heroes, Saints & Fools. Depois, no verão de 2006, lançaram Vox In Excelso, um álbum conceptual. Ambos ainda estão disponíveis. Portanto, sim ... 2005 foi o início de uma nova era para os Saracen.

Alguns dos membros dos Saracen estão envolvidos noutros projetos?
Não. Saracen é único para nós. Mais uma vez, obrigado. Se os fãs realmente quiserem um aperitivo do álbum Marilyn, experimentem isto: http://www.youtube.com/watch?v=hebYe_kgLEE e o nosso site, http://www.templarmusic.co.uk/.

Sem comentários: