Review: Harvest (The Man-Eating Tree)

Harvest (The Man-Eating Tree)
(2011, Century Media)

Mesmo considerando que o segundo álbum dos finlandeses The Man-Eating Tree foi gravado durante uma das maiores ondas de calor que afetou o seu país, Harvest afigura-se altamente sombrio e melancólico. Mas demora um pouco até nos conseguirmos embrenhar em todo o turbilhão de emoções que aqui se apresenta. Todavia, quando finalmente se chega à faixa final, apercebemo-nos que estamos completamente envolvidos por um denso manto de melancolia e desespero. Mesmo assim, ainda há alguma luz em tanta escuridão. Como sempre acontece: há sempre algo que começa quando outro algo acaba. Tal como o outono finlandês, na expressão dos seus criadores e a sua relação com título desta obra, Harvest. Para os The Man-Eating Tree o outono é uma estação muito criativa e descreve o álbum na perfeição. Aliás, já o álbum de estreia, Vine, tinha um título muito ligado ao outono e, curiosamente, ambos os álbuns se viram também para temáticas agrícolas e da natureza. Toda a beleza e desolação da natureza voltam, então, a estar presentes, não só no conceito, como também no artwork. Mais uma vez a gravação esteve a cargo de Hiili Hiilesmaa (HIM, Sentenced, Moonspell), aparentemente, a pessoa certa para gerir toda a emoção melancólica que é criada no país dos mil lagos (e não só…). Por isso, Harvest também é um álbum que representa, na perfeição, o romantismo e a melancolia finlandesa, com muitos ambientes pintados de sombras escuras e densas. Mas sempre com alguma luz, como já se referiu, numa dualidade perfeitamente percetível nas letras de Tuomas Tuominen. Karsikko o último tema do disco não se limita a ser apenas isso; é acima de tudo uma reflexão e um resumo de tudo que se tinha apresentado antes em termos de sonoridades e atmosferas com as guitarras acústicas e o órgão a criarem um momento verdadeiramente único e sensacional. Tal como os ambientes criados pelo piano na abertura com Harvest Bell. No entanto, Harvest apresenta uma diferença principal em relação a Vine: a inclusão de um segundo guitarrista (Antti Karhu dos Clock Paradox) de forma a fortalecer a profundidade e as paisagens sonoras que a criação musical exigia. Aliás, seria mesmo este guitarrista quem acabaria por escrever um dos temas mais pesados do disco, Exhaled.


Tracklist:
1.       Harvest Bell
2.       At The Green Country Chapel
3.       Code Of Surrender
4.       Armed
5.       Like Mute Companions
6.       Exhaled
7.       Down To The Color Of The Eye
8.       Incendere
9.       All You Kept Free
10.   Karsikko

Line up:
Tuomas Tuominen – vocais
Janne Markus – guitarras
Antti Karhu – guitarras
Mikko Uusimaa – baixo
Heidi Määttä – teclados
Vesa Ranta – bateria

Internet:

Edição: Century Media

Comentários