quarta-feira, 25 de julho de 2012

Entrevista: Waylander

Ultrapassados que estão os problemas de line-up, os irlandeses Waylander, um dos mais emblemáticos e importantes nomes do movimento pagan metal estão de regresso, quatro anos após Honour Amongst Chaos, com Kindred Spirits, segundo trabalho com o selo da francesa Listenable. Ard Chieftain O’Hagan, vocalista do sexteto, respondeu de forma direta a algumas questões.

Novo álbum disponível… como se sentem?
Estamos aliviados por finalmente ver o álbum lançado e estamos satisfeitos com os comentários e reações que está a receber.

Porque razão estiveram quatro anos sem novas gravações?
Tivemos bastantes espetáculos após o último álbum e antes de começarmos a escrever este novo álbum. Depois, houve atrasos que estiveram fora de nosso controle e que significaram o adiamento do lançamento do álbum em cerca de um ano. 

Todos os problemas que tiveram no passado com o line up já estão resolvidos?
Afigura-se- me que sim e que assim possa continuar por muito tempo.

Estiveram na Century Media e agora estão na Listenable e este é o vosso segundo lançamento pelo selo francês. Foi benéfico para vocês esta mudança?
Passámos da Century Media para a Blackened/PHD no segundo álbum e então os problemas começaram na formação. Quando tínhamos o álbum pronto ficamos sem editora. Nessa altura fui pesquisar e considerei que trabalhar com a Listenable seria uma boa opção para nós.

O fato de serem da Irlanda do Norte teve qualquer influência nas vossas raízes celtic/folk?
Apesar de sermos oriundos do norte da ilha, ainda somos irlandeses e a música tradicional irlandesa bem como a mitologia irlandesa como um todo foram definitivamente uma influência sobre nós ajudando a tornar-nos quem somos. Temos muito orgulho em ser do norte da província de Ulster e isso também tem influência sobre a nossa mentalidade e os processos de pensamento na criação dos nossos conceitos musicais.

Em 2011, tocaram na Trolls Over Europe Tour. Que lembranças guardam dessa tournée?
Foi a nossa primeira vez num autocarro de tournée e o nosso maior tempo de estrada, portanto no início foi um bocado assustador. E demorou cerca de dois espetáculos até acertarmos o nosso passo e desde então fizemos grandes espetáculos e adoramos a experiência. Fizemos amizade com muitas pessoas. Foi uma sorte que nos demos bem com os nossos parceiros de tournée porque eu posso imaginar o quão difícil teria sido o contrário. Foi muito bom tocar em algumas cidades novas e, finalmente tocar na República Checa, atender a tantas pessoas e tantas amostras cervejas diferentes. Eu tenho um diário desta tournée no nosso site, se alguém estiver interessado.

De alguma forma essa tournée influenciou o processo de escrita para este novo álbum?
Nada, pois tínhamos o álbum quase terminado na altura em que fizemos essa tournée. Na verdade, até tocámos duas das músicas do álbum nesses espetáculos.

A respeito de Kindred Spirits quais são, na tua opinião, as principais semelhanças e diferenças para Honour Amongst Chaos?
A fórmula não é muito diferente do último álbum. Decidimos que queríamos que este álbum não serpenteasse tanto quanto o último, sendo importante que ficasse com músicas mais curtas e mais extremas.

Então, como descreverias Kindred Spirits?
Kindred Spirits é puro pagan metal, cheio de paixão, fúria e emoção com a dose certa de atmosferas.

Como foi o processo de gravação desta vez?
Depois da experiência de gravar nos estúdios Stone Circle pela última vez e com Dave na banda durante esse processo, sentimos que estávamos melhor preparados para obter uma melhor produção, desta vez, o que sem dúvida conseguimos. O processo foi diferente desta vez gravando as músicas à medida que as escrevíamos, em vez de tocar as músicas uma e outra vez na sala de prática. Foi uma experiência estranha para alguns de nós, mas devido às circunstâncias foi a única maneira de podermos trabalhar neste álbum.

Que expetativas têm para este lançamento?
Esperávamos uma reação positiva para este novo álbum e temo-la recebido. Esperamos que ele nos traga a oportunidade de fazer alguns espetáculos mais e de visitar alguns lugares novos.

Nesse particular já há alguma coisa prevista ou planeada?
Estamos a trabalhar na obtenção de alguns shows, mas apenas algumas datas irlandeses estão confirmados até agora. Se houver algum promotor que estejam a ler esta entrevista, podem entrar em contacto através do nosso website www.clanwayalnder.com

Finalmente existe mais alguma coisa que que queiras acrescentar para os nossos leitores?
Para aqueles que já nos conhecem, gostaria de exortá-los a comprar o álbum que não se irão dececionar e para os que ainda não nos conhecem, ouçam-nos e venham ver-nos ao vivo para que vos possamos converter! Muito obrigado pela entrevista.