domingo, 1 de julho de 2012

Review: Deserta (No Tribe)

Deserta (No Tribe)
(2012, Edição de Autor)

Os lisboetas No Tribe nasceram em 1999 e após alguns anos em experimentações musicais, lançam o primeiro trabalho, uma demo, em 2006, intitulado The Days Of Days. Em 2009 viu a luz do dia o segundo EP, Primordial e agora, três anos volvidos e como reflexo da evolução do trajeto da banda, surge Deserta, um trabalho claramente mais maduro. Gravado, mais uma vez, nos Blacksheep Studios em Sintra com o conceituado produtor Makoto Yagyu, os seis temas que compõe Deserta mostram-nos uma banda capaz de explorar, de forma consciente e consistente, diversos campos dentro do rock. Como o próprio press-release afirma, Deserta deambula entre paisagens áridas e locais paradisíacos. Por isso não é de estranhar que a banda consiga visitar o metalcore, o progressivo, o alternativo e até o stoner. Conduzidos por uma bateria com um enorme dinamismo e versatilidade e por linhas de guitarra bem construídas, os No Tribe conseguem introduzir ainda importantes elementos melódicos, nomeadamente ao nível do refrão, que acabam por contrariar um pouco a tendência um pouco mais agressiva que se regista em grande parte do EP com as suas sucessivas descargas de pura energia e adrenalina

Tracklist:
1.      Leap Of Fate
2.      Propaganda
3.      Sleep Deprivation
4.      Walking Dirt
5.      Time To Breath
6.      Home

Line-up:
David Pais - baixo
Zargo – bateria
Isi – vocais
Roxo – guitarras
Dourado - guitarras
 
Internet:

Sem comentários: