Review: Bend In The Road (Jeremy Spencer)

Bend In The Road (Jeremy Spencer)
(2012,Propelz)
 
Pode não ser coincidência. De Lee Small a American Aquarium, de Michael Des Barres a Alexandre Cthulhu, o blues tem estado muito presente nestas páginas no último ano. Jeremy Spencer é mais um nome a adicionar ao rol e Bend In The Road um disco de puro blues na linha de Buddy Holly, por exemplo. Um disco que é o segundo do antigo guitarrista dos Fleetwood Mac em seis anos (sucede a Precious Little de 2006), depois de mais de trinta anos desaparecido do cenário musical. E dentro dele existe um conjunto de temas com a base no blues, muito intimistas e por vezes a abranger territórios mais rock’n’roll com o honky tonk por momentos a marcar presença. Também a slide guitar é uma presença assídua e com ela são criados alguns dos momentos mais sublimes de Bend In The Road. Mas o ponto mais importante é a forma como Jeremy Spencer construiu um álbum cheio de variações e surpresas com a inclusão de cordas, acordeão, vocais femininos e alguns instrumentais. Nestes, o trabalho de guitarra limpo e melódico remete-nos muito para os míticos The Shadows. Como consequência da referida variabilidade, a ponta final do disco revela-se menos bluesy e mais pop com a criação de melodias belíssimas quer nas guitarras, quer nos vocais quer em soberbas linhas de piano. Quem procura música de grande qualidade, independentemente do género, tem aqui um grande álbum para explorar.
 
Tracklist:
1.      Homesick
2.      Cry For My baby
3.      Whispering Fields
4.      Walked A Mile
5.      Earthquake
6.      Aphrodite
7.      Secret Sorrow
8.      Stranger Blues
9.      Homework
10.  Desire Heaven
11.  Come To Me
12.  Merciful Sea
13.  Refugees
14.  Bend In The Road
 
Line-up:
Jeremy Spencer – vocais, guitarras, piano e órgão
Brett Lucas – guitarras
James Simonson – baixo e contra-baixo
Todd Glass – bateria e percussão
Rachel May – vocais
Molly Hughes – violino
Mimi Morris – violoncelo
Stefan Koch – violoncelo
Duncan McMillan – acordeão
 
Internet:
 
Edição: Propelz

Comentários