RIP - Malcolm Young (AC/DC) - We Salute You!

Review: Mysticeti Victoria (Darktribe)

Mysticeti Victoria (Darktribe)
(2012, Massacre)
 
Em primeiro lugar há duas coisas que saltam à vista no que diz respeito Mysticeti Victoria, álbum de estreia dos franceses Darktribe: a beleza da capa e dois nomes finlandeses associados à mistura e masterização – Mika Jussila e Mikko Karmila. A presença destes dois nomes costuma ser suficiente para garantir a qualidade do produto, pelo menos ao nível do trabalho do som, porque, claro está ao nível da capacidade de criar grandes malhas, isso está nas mãos dos músicos. Serve esta introdução para dizer que esta estreia tem poder, está bem produzida, tem todas as arestas bem limadas, tem um som muito bem trabalhado em laboratório, mas depois falta qualquer coisa. Certo, também tem um conjunto de músicos que se poderia considerar como virtuosos e esse é o grande ponto favorável a Mysticeti Victoria. Os longos momentos instrumentais são soberbos, os solos são magníficos na forma como introduzem classicismo no metal e como se tornam belos e técnicos. O problema está que à medida que o álbum vai avançando vai-se tornando algo repetitivo e monótono. Ainda por cima quando os Darktribe dançam num limbo entre um power metal da linha dos seus compatriotas Heavenly, um heavy metal de cavalgadas ironmaidenianas e um thrash de influências Nevermore. Mas pior que dançar nesse limbo é parecer não ter capacidade de se assumir em nenhum deles. OK, Mysticeti Victoria até tem um par de temas muito bons, principalmente a primeira metade até Lightning Guide e Eyes Have You e isso deverá agradar aos fãs do metal mais tradicional com laivos de power e com importantes registos ao nível das melodias. Mas nesta fase do campeonato exigia-se mais de uma estreia por forma a conseguir ser competitivo.
 
Tracklist:
1. Genesis
2. Taiji
3. Roma XXI
4. Black Meteor
5. Lightning Guide
6. Lost
7. Poison Of Life
8. Eyes Have You
9. Beware The God
10. From Us
11. Life, Love & Death
 
Line-up:
Anthony Agnello – vocais
Loïc Manuello – guitarras
Bruno Caprani – baixo
Julien Agnello – bateria
 
Internet:
 
Edição: Massacre Records

Comentários