segunda-feira, 17 de dezembro de 2012

Review: Place Called Rage (Place Called Rage)

Place Called Rage (Place Called Rage)
(2012, Escape Music)
 
Em 1995, 4 jovens gravaram um álbum nos Milbrook Studios em Nova Iorque. O disco foi gravado em apenas uma semana, depois foi distribuído exclusivamente para o mercado japonês e… chegou o grunge e acabou com o rock. Os 4 elementos seguiram diferentes direções e o álbum caiu no esquecimento. Mas, felizmente, não no esquecimento global. Esse coletivo chamava-se Place Called Rage e, em boa altura, a Escape Music o descobriu. 17 anos depois é oficialmente lançado. Acaba, portanto, por ser uma história parecida com a dos recentemente analisados YoungBlood e do seu álbum No Retreat. E não deixa de ser impressionante ver como um álbum com quase duas décadas de existência pode soar tão atualizado. Independentemente de ter havido ou não (essa informação não nos chegou) um novo trabalho ao nível da manipulação sonora, o que é certo é que falamos ao nível da composição e das músicas criadas. E estas são de um fino recorte técnico, com belíssimos arranjos e agradáveis melodias. Com base no hard rock tradicional, o quarteto usa com frequência o registo acústico como forma de contrabalançar os ritmos enérgicos e frenéticos de alguns temas. Por momentos injetam poder e velocidade, noutros mostram-se mais compassados e até introduzem alguns elementos progressivos. De facto, um trabalho rico em pormenores e com um enorme trabalho de guitarra, cortesia de… Al Pitrelli! Esse mesmo que mais tarde andaria pela Trans-Siberian Orchestra, Alice Cooper, Megadeth, Asia ou Savatage. Já agora que falamos do trajeto deste músico no seu período pós-Place Called Rage, fiquem também com a informação que Tommy Farese também passou pela TSO e trabalhou com Bobby & Teddy Rondinelli; Danny Miranda juntou-se aos Blue Oyster Cult aos Queen com Paul Rodgers; finalmente, Chuck Bonfonte, que trabalhou com inúmeras bandas nova-iorquinas, deverá ter sido o que teve o trajeto menos mediático. Agora que se ouviu o que este quarteto foi capaz de produzir há 17 anos o que se espera é que esta edição reavive o quarteto e o incentive a voltar a juntar-se para dar sequência a esta fantástica estreia.
 
Tracklist:
1.      I Know Where You Been
2.      Place Called Rage
3.      Trapped
4.      Take It Lying Down
5.      Someday
6.      One Child
7.      What These Eyes Have Seen
8.      Can’t Find My Way Home
9.      Jenny Doesn’t Live Here Anymore
10.  Thunderbox
11.  We’re Not Coming Home
12.  Chained To Maniac
 
Line-up:
Tommy Farese – vocais
Chuck Bonfante – bateria
Danny Miranda – baixo
Al Pitrelli – guitarras, teclados
 
Internet:
 
Edição: Escape Music

Sem comentários: