domingo, 20 de janeiro de 2013

Entrevista: Access Denied

 
Ao segundo álbum, os Access Denied refinaram as suas competências e, num álbum com metade do tempo da sua estreia, provam como é possível fazer bom heavy metal clássico. Touch Of Evil é um disco inspirado pelos clássicos como Iron Maiden, Judas Priest e Warlock, mas é, também, um atestado da maioridade e identidade da banda polaca, como se percebe pelas palavras do guitarrista
Mateusz “Matołek” Krauze.

 
Olá Matt, podes apresentar os Access Denied para os fãs portugueses?
Olá Portugal! Nas frases seguintes, vou falar um pouco sobre os Access Denied. Nascemos no início de 2003, já lá vão 10 anos, de heavy metal clássico. Estamos muito satisfeitos por podermos apresentar-vos a nossa música inspirada por esses "dinossauros" como Iron Maiden e Judas Priest.

 
Touch Of Evil é o vosso segundo álbum. De que forma se diferencia da estreia?
A diferença é enorme! Este álbum tem cerca de metade do tempo, tem apenas 33 minutos, quando o primeiro, The Memorial tinha 56 minutos. As canções são mais consistentes, mais cativantes, acreditamos que este é um disco muito melhor, mas o próximo (que já está feito) é ainda melhor, mais pesado!

 
Touch Of Evil já tinha sido lançado no vosso país em 2011. Esta edição de Pitch Black é igual ou tem alguns extras?
Foi lançado é uma expressão um pouco forte. Realmente lançámos o CD em 2011, mas sem contrato, sem editora, porque a realidade para as bandas de hoje é terrível. É difícil lançar um álbum. Tivemos sorte no contacto que fizemos com a editora Pitch Black Records. Uma boa editora, com o trabalho bem promovido (como se pode ver) e esperamos não parar neste disco. Esta edição da Pitch Black Records tem a adição do vídeo One Night. Foi uma boa ideia.

 


Touch Of Evil é também o nome de um álbum dos Warlock e nota-se alguma influência Warlock na vossa música. É apenas coincidência ou uma tentativa de homenagem à banda alemã?

Por favor, acreditem em mim, esta é a realidade. É claro que eu conheço muito bem esta banda e somos muitas vezes comparados a Doro e Warlock (o que é bom, porque é uma grande banda!). Mas não foi intencional. Às vezes também se diz que os Judas Priest têm um álbum com o mesmo nome. Mas a Agnieszka escreveu boas letras e Touch of Evil é um grande título para o álbum.

 
Como descreverias Touch Of Evil?
Este é um álbum clássico. Sempre nos inspiramos no heavy metal clássico de anos diferentes e de diferentes cantos do mundo. Dos Scorpions iniciais, King Diamond, Maiden, Judas, Anvil, Primal Fear, etc. Toda esta atmosfera pode ser encontrada neste disco. Não copiamos ninguém, apenas tocamos Heavy Metal clássico com vocais femininos.

 
Também há uma curiosidade a respeito do vosso nome, certo? No início não era este. Podes contar-nos a história?
A história é simples. No início, chamávamo-nos X-a-nite, mas eu pensei que é isso? E mudei o nome para Access Denied e tem sido assim há quase 10 anos.

 

Outra curiosidade é o facto de terem lançado um DVD sem qualquer CD lançado. Como aconteceu isso?

(Risos). Sim, é verdade, há muitos anos, nós lançamos um DVD simplesmente chamado Access Denied. Quando filmamos o nosso primeiro vídeo todo o trabalho foi muito rápido e filmamos numa noite. Depois recebemos o DVD do fabricante onde estavam os dois primeiros vídeos, um presente que foi enviado para a discografia quase por acidente. Mas foi muito fixe naquela altura (2006).

 
Estão, atualmente, a fazer alguma tournée para promover Touch of Evil ou têm alguma já programada?
Estamos em fase de planeamento dos concertos de promoção de Touch of Evil. Certamente vamos tocar cerca de 20 shows ou mais, na Polónia e na Europa. Nós planeamos com a Pitch Black Records e agências polacas. Talvez nos convides para Portugal. Todas as informações podem ser encontradas no nosso facebook.

 
Finalmente queres acrescentar algo mais para os nossos leitores?
Muito obrigado pelo teu interesse em Access Denied e pela boa critica a Touch Of Evil. Espero que o álbum agrade aos fãs de heavy metal em Portugal. Nós temos grande esperança de que iremos ter a oportunidade de tocar num concerto para vocês. O Metal une as pessoas, não importa onde nasçamos!!

Sem comentários: