RIP - Malcolm Young (AC/DC) - We Salute You!

Entrevista: Dirt

 


Segundo trabalho para a banda germânica Dirt, primeiro para o influente selo Massacre Records. Com mais tempo para a sua preparação e gravação, o coletivo teutónico assina um disco cheio de hard rock e groove metal num cruzamento raro de sensibilidade retro e poder sónico. Via Nocturna esteve à conversa com o vocalista Sven Zaklikowski.


Podes apresentar os Dirt aos metalheads portugueses?
Dirt é uma banda de groove metal da zona sul da Alemanha nascida em 2008. A nossa música é influenciada pelo rock dos anos 70 (por exemplo, ZZ Top, Led Zeppelin, Black Sabbath, Lynyrd Skynyrd, etc), bem como bandas de groove metal (por exemplo, Pantera, Down, BLS). Além disso, temos algumas influências do rock e metal da década de 80. A combinação de todos estes géneros e juntamente com o nosso toque pessoal dá origem aos Dirt.
 
Bom, este é um bom momento para Dirt: novo álbum, o segundo, nova editora. Sentem-se bem…
Sim, claro que sim. Nós só recebemos críticas e comentários positivos a respeito do disco até agora. Além disso, a cooperação com a Massacre é super.
 
Sobre o vosso novo álbum, porque um nome como Rock’n’Roll Accident? Felizmente, este não é um álbum de rock'n'roll por acidente, pois não (risos)?
O título Rock’n’ Roll Accident reflete o estilo de vida do Rock’n’ Roll, não só o estilo ou género de música. Existem algumas músicas que lidam com este exemplo de estilo de vida, isto é, acordar de manhã com uma ressaca e não saber o que aconteceu na noite anterior à noite.
 




Como descreverias a vossa música? Parece ser uma extraordinária miscelânea de southern, groove, thrash e rock'n'roll. Concordas?

Sim, a música dos Dirt é influenciada por diferentes géneros e também bandas (ver resposta acima). Mas, no entanto é um tipo especial de música e tem o toque pessoal dos Dirt.
 
 
Como tem sido a reação ao álbum até agora? Têm algum feedback?
Até agora só temos tido feedbacks positivos quer dos fãs quer das revistas. É claro que também há algumas opiniões que criticam alguns pontos, mas nós vemos isso como uma oportunidade para melhorarmos, o que não significa que não iremos permanecer fiéis ao nosso estilo e música – os Dirt soarão a Dirt no próximo álbum.
 
Como vês a evolução desde a vossa estreia? Ou seja, em que é diferente Rock’n’Roll Accident do primeiro álbum?
Como a banda já está junta há quatro anos, o sentimento de equipa entre os membros da banda é melhor e mais bem ensaiado. Portanto, as jam sessions e a criação de novas canções é, agora muito mais fácil e mais profissional. A diferença para o primeiro álbum surge também porque tivemos mais tempo de estúdio para o novo álbum, uma vez que gravamos no meu próprio estúdio para que pudéssemos trabalhar sempre que quiséssemos.
 
Então deve ter sido um processo de gravação fácil? Tudo correu bem?
Sim, a gravação foi boa, pelo facto de termos, como disse, gravado no meu estúdio em casa para que pudéssemos gravar a qualquer momento que quiséssemos e quando estivéssemos mais criativos. E divertimo-nos bem durante as sessões de gravação - longas noites com cerveja e boa música.
 



Fast Lane
foi a canção escolhida para fazer o primeiro vídeo, certo. Por quê?

Porque é uma música porreira (risos). Não, nós conversamos sobre que música representaria melhor a banda e decidimos que Fast Lane seria perfeita para isso.
 
Estão prontos para ir para a estrada? Existe alguma tournée prevista para os próximos tempos?
De momento estamos a ensaiar um novo set e a prepararmo-nos para os espetáculos programados - e, como já mencionado, temos algumas solicitações para o próximo ano e esperamos fazer muitos shows por toda a Europa.
 
Quais são os teus votos para o novo ano?
Como já disse fazer muitos concertos e gravar novas músicas para o terceiro álbum. E que tudo continue tão bem como começou.
 
Finalmente há mais alguma coisa que gostasses de dizer aos nossos leitores?
Para todos os que já compraram nosso CD: OBRIGADO; Para todos os que ainda não o têm: comprem o nosso CD e divirtam-se. Queremos também agradecer pela entrevista que é uma grande oportunidade para sermos conhecidos fora da Alemanha - esperamos ter conseguido dar-vos uma pequena visão dos Dirt.

Comentários