segunda-feira, 11 de fevereiro de 2013

Entrevista: Rage Of Angels

Ged Rylands é, fundamentalmente conhecido pelos cinco álbuns que fez com os Ten. Ao longo dos anos foi escrevendo uma coleção de temas agora reunidos sob o seu projeto Rage Of Angels, onde reúne diversas figuras ímpares do rock internacional. O músico ainda teve tempo, nos últimos anos, de colaborar com diversos outros grupos, sendo de destacar a participação em 3 Minute Silence dos nossos Scar For Life. Aliás, este foi um dos muitos motivos da conversa que mantivemos com o guitarrista britânico.
 
Olá Ged! Parabéns pelo teu excelente álbum, espero que esteja tudo bem e obrigado pela oportunidade de falar contigo! Quando surgiu a ideia de gravar este álbum?
Olá... Obrigado pela entrevista! Desde os tempos dos Ten que eu queria fazer o meu próprio álbum. Por muitas razões nunca se proporcionou, e foi só quando eu construí o meu próprio home studio há cerca de três anos atrás, que realmente comecei a organizar as minhas ideias e comecei a gravar o que viria a ser o álbum Dreamworld.
 
E porque a escolha de um nome como Rage Of Angels? Algum motivo em especial?
O nome surgiu quando estávamos a tentar chegar a alguma coisa. Khalil e Barrie da Escape Music, eu e o Bruce Mee todos tínhamos listas de nomes e o Bruce tinha ROA que todos gostaram instantaneamente. Às vezes o nome é a parte mais difícil, mas para ser honesto, foi decidido numa hora.
 
Todos estes temas já estavam escritos antes, desde a pausa de dez anos que entretanto fizeste ou são mais recentes?
Fui tendo ideias durante anos, mas a maior parte da escrita e da forma como as canções evoluíram surgiu nos últimos 18 meses, mais ou menos. Reescrevi todas as canções de novo para ter a certeza de que cada nota estava bem. Podem chamar a isso de obsessão, mas eu chamo de elaborar as músicas o que é uma arte perdida nos dias de hoje.
 
Podemos, então, considerar que foste o responsável por todos os arranjos?
Sim, eu escrevi todas as músicas e letras com exceção de duas canções onde tive a ajuda na parte lírica uma vez que estava bastante ocupado a escrever as letras das outras faixas. Danny Vaughn fez um trabalho brilhante em Over and Over e a David Reed Watson pedi para escrever as letras de With The Beating Of Your Heart. Achei que era importante ele se relacionar com as letras uma vez que tinha algum tipo de propriedade na música. Eu tinha o título e algumas (poucas) frases-chave e ele fez o resto da letra.
 
Depois convidaste uma série de gente para interpretar essas canções? Como se processou essa fase? Como foi o processo de escolha dos músicos?
Inicialmente, eu escrevi e toquei todos os instrumentos no meu estúdio exceto as guitarras e vocais. Estes foram feitos tanto por ficheiros que foram enviadas para mim pelos artistas ou por terem vindo até ao meu estúdio gravá-los como fez Neil Fraser em algumas sessões. O que foi muito bom porque nos divertimos e as ideias realmente evoluíram enquanto ele esteve aqui. Em seguida, na mistura Martin Kronlund substituiu a bateria com a bateria ao vivo de Perra Johanssen dos Coldspel/ Lover Under Cover e com o baixo de Mikael Carlsson também dos Lover Under Cover. O Martin também reforçou as guitarras e tudo saiu realmente bem.
 
Então não se pode falar numa banda base, certo?
Como disse, gravei todos os instrumentos sozinho e depois vimos quem poderia entrar e fazer ainda melhor.
 
E foi um processo fácil, considerando todas as pessoas envolvidas?
Muito fácil. Fiz tudo em casa para além da bateria substituída e do baixo. O único problema que tive foi o da gravação ter decorrido num dia movimentado, que também incluiu um dia de trabalho normal.
 
Recentemente trabalhaste com Alexandre Santos do projeto português Scar For Life no álbum 3 Minute Silence. Que lembranças guardas?
O Alexandre é o maior! Ele é muito parecido comigo, tem ideias muito fortes a respeito do que quer e é um grande escritor e intérprete… por isso foi um prazer tocar no seu álbum. Eu estava em tournée com os Tyketto em Portugal no ano passado e encontrei-me um dia com o Alex e ele me levou num passeio pela fantástica cidade de Lisboa. Que é uma bela cidade e onde passámos um grande dia. Voltamo-nos a encontrar em Londres um pouco antes do Natal para ver os Steel Panther… ele é um bom amigo e uma boa pessoa!
 
Para além de Scar For Life estás a colaborar com mais alguém atualmente?
Toquei no álbum dos Lover Under Cover e agora estou a trabalhar com Kane Roberts (Alice Cooper), Brooke St James (Tyketto) e também a produzir uma banda chamada Circle Of Steel. E também já comecei a gravar o segundo álbum dos Rage Of Angels que deverá estar terminado no final do ano.
 
E, falando de memórias, depois de cinco álbuns com os Ten, que memórias guardas?
Foi brilhante ter feito parte dos Ten e esse facto abriu-me muitas portas. Ainda conservo bastantes amigos desses dias. Fiquei muito orgulhoso e ainda estou de ter sido uma parte dos Ten.
 
Voltando aos Rage Of Angels, existe alguma hipótese de irem para palco? Nessa situação quem estaria contigo?
Sim, estou em negociações com promotores para fazer uma tournée no segundo semestre de 2013. Para já não quero revelar o line-up, só mais próximo. Só digo que Portugal vai estar representado nesse line-up ao vivo… juntamente com alguns nomes muito grandes do mundo do rock!
 
A terminar, dou-te a oportunidade para acrescentares mais alguma coisa para os nossos leitores e para os teus fãs portugueses.
Gostei muito de ter tocado em Lisboa no ano passado com os Tyketto e a simpatia de nossos amigos em Portugal foi inigualável por isso, espero levar Rage Of Angels de novo a Portugal ainda este ano. Vai ser um grande espetáculo. Muito obrigado... Vejo-te em breve!

Sem comentários: