terça-feira, 5 de fevereiro de 2013

Review: Ride The Void (Holy Grail)

Ride The Void (Holy Grail)
(2013, Nuclear Blast)
(4,6/6)
 
Ride The Void é o segundo longa duração para os Holy Grail, três anos após a estreia Crisis In Utopia, sendo que pelo meio a banda editou um EP e dois split. Este álbum marca a estreia para a gigante Nuclear Blast depois do furor que a banda tem tido após o seu trabalho de estreia. Holy Grail representa na perfeição a nova geração de power metal da escola americana capaz de recriar os grandes nomes do género (Iced Earth, 3 Inches Of Blood) adicionando uma dose qb de agressividade (às vezes a aproximar-se do death metal) e sempre com uma apreciável técnica, nomeadamente ao nível dos solos, a lembrar nesse capítulo o trabalho de Dragonforce. A produção de Matt Hyde (Slayer, Childern Of Bodom) pode não ser alheia ao endurecimento do som, dos textos e ao aumento de obscuridade do anterior álbum para este Ride The Void. Porque este é um disco verdadeiramente possante, híper rápido, com cavalgadas épicas, devastador. Com a curiosidade de conseguir criar no interior desse aparente caos interessantes melodias e alguns refrães orelhudos. No fundo, um update do que muitos dos grandes nomes do verdadeiro heavy metal fizeram ao longo dos anos. Mas, este álbum não é muito linear. Até porque os Holy Grail continuam a expandir os limites da sua criação. Ocorre a introdução de guitarra clássica em Wake me When It’s Over, a entrada em campos vocais mais cinematográficos em Sleep Of Virtue, a guitarra ondulada em Silence The Scream ou a doce melodia final de Rains Of Sorrow. Ride The Void é, pois, um álbum diversificado, moderno, destinado aos verdadeiros fans de metal e com muito potencial para palco a procura de louco headbanging!
 
Tracklist:
1. Archeus
2. Bestial Triumphans
3. Dark Passenger
4. Bleeding Stone
5. Ride The Void
6. Too Decayed To Wait
7. Crosswinds
8. Take It To The Grave
9. Sleep Of Virtue
10. Silence The Scream
11. The Great Artifice
12. Wake Me When It's Over
13. Rains Of Sorrow
 
Line-Up:
James-Paul Luna – vocais
Eli Santana – guitarras
Alex Lee – guitarras
Tyler Meahl – bateria
Blake Mount - baixo
 
Internet:
Edição: Nuclear Blast

Sem comentários: