terça-feira, 19 de março de 2013

Review: Bringer Of Light (Damnation Angels)

Bringer Of Light (Damnation Angels)
(2013, Massacre Records)
(4.7/6)
 
Se pertencem ao grupo de pessoas que sempre acharam que um pouco de músculo fazia falta aos Nightwish e, que por via disso mesmo, Marco Hietala deveria ter mais tempo de antena, então Damnation Angels é para vocês. Bringer Of Light é um disco com majestosos apontamentos sinfónicos sobre os quais assentam doses maciças de riffs, colossal secção rítmica, grandes melodias. Tudo o que aqui está já esteve nos mestres finlandeses do symphonic metal, sejam os momentos calmos e emotivos, sejam as fortes cavalgadas, seja a introdução de elementos étnicos, sejam as alterações rítmicas. Aqui apenas aparecem com um pouco menos de genialidade. E até entrando por outros campos mais virados para o power metal melódico de influência sinfónica nomeadamente Rhapsody Of Fire. Duas faixas são pequenas (com menos de três minutos) – são as duas introduções: a do álbum e a de uma sequência composta por mais três partes. Outras duas são longas (roçam os 10 minutos) – The Longest Day Of My Life e o fecho Pride (The Warrior’s Way). Estas são as duas melhores peças deste trabalho do quinteto britânico. Aquelas onde o metal, o sinfónico e o étnico melhor se enquadram. Depois existem mais seis temas equilibrados, possantes e cheios de orquestra cruzada com riffs e power. Nada de novo é certo, mas bem feito e com sentimento de autenticidade. Aconselhado.
 
Tracklist:
1. Ad Finem
2. The Longest Day Of My Life
3. Reborn
4. I Hope
5. Pt 1 – Acerbus Inceptum
6. Pt 2 - Someone Else
7. Pt 3 - Bringer Of Light
8. Pt 4 - Shadow Symphony
9. No Leaf Clover
10. Pride (The Warrior‘s Way)
 
Line-Up:
William Graney – guitarras, orquestrações
Per Fredrik „Pelle K“ Asly - vocais
John Graney - bateria
Stephen Averill - baixo
Dawn Trigg – piano
 
Internet:
 
Edição: Massacre Records

Sem comentários: