sábado, 2 de março de 2013

Review: Eclectic Shred (James Williams)

Eclectic Shred (James Williams)
(2012, Eclectic Shred Records)
 
A Magna Carta lançou, no ano passado, o álbum The Epiphany dos X Opus que é, nada mais nada menos que o projeto do virtuoso guitarrista norte-americano James Williams. Agora, contrariando o power metal do seu projeto, o guitarrista assina em nome próprio um disco claramente orientado para a guitarra e onde este instrumento é o personagem principal (e quase único!). Já se vê, um disco de guitar hero. Naturalmente. Aliás, Williams já foi comparado a Yngwie Malmsteen e sabem por quem? Precisamente por Mike Varney da Shrapnel Records. De facto, o americano segue alguma influência neoclássica do sueco mas o seu estilo torna-se mais abrangente com influências que vão desde Gary Moore a Al Dimeola passando por Jeff Beck ou Robin Trower. Por isso, Eclectic Shred é um álbum de guitarra (como já se referiu) mas com bastante diversidade. Por ali se ouve fusão, prog, power metal, sinfónico-orquestral, música contemporânea, flamenco. Desde a incendiária abertura com B17 Flying Fortress até à mais criativa e inovadora Journey To Andromeda com inclusão de guitarra acústica este é um trabalho com fortes composições e um excelente trabalho de guitarra. E com alguns temas como Auschwitz e Eclectic Shred a conseguirem uma boa junção entre o tecnicismo e até algum experimentalismo com musicalidade. Adicionalmente os desempenhos de mestres como Mike LePond (Symphony X) no baixo e Matt Guillory (James LaBrie/Malmsteen) nos teclados, com o apoio de mais dois guitarristas (Richard Tull e Dave Thomas) ajudam a que Eclectic Shred seja um disco de tradição neoclássica com uma forte componente inovadora.
 
Tracklist:
1.      B17 Flying Fortress
2.      Keltoi
3.      Dropa Stones
4.      Unborn Massacre
5.      Auschwitz
6.      Eclectic Shred
7.      Cruise Control
8.      Maxwells Castle
9.      Europa
10.  Journey To Andromeda
 
Line-Up:
James Williams- guitarras, teclados, baixo
 
Convidados:
Mike LePond – baixo (#1, #3, #6)
Matt Guillory – teclados (#3, #6)
Richard Tull – guitarra solo (#3, #10)
Dave Thomas – guitarras (#3)
 
Internet:

1 comentário:

James Williams disse...

The album I did was X Opus The Epiphany not Opus X thats a cigar maker.. lol to funny mix up