Review: Rise (Reign Of The Architect)

Rise (Reign Of The Architect)
(2013, Pitch Black Records)
(5.1/6)
 
A Pitch Black Records tem-se distinguido por lançar nomes desconhecidos mas de enorme qualidade. A mais recente descoberta chama-se Reign Of The Architect (R.O.T.A.), coletivo israelita praticante de metal progressivo. E para que melhor nos entendamos é mesmo preferível chamar de progressivo, porque não é muito fácil descrever a complexidade e variedade que Rise, o disco de estreia, apresenta. Sendo de Israel, naturalmente, as comparações com Orphaned Land acabarão por vir sempre à baila. E sim, os R.O.T.A. têm alguns pontos de contacto com aquela que deve ser a principal referência israelita. Mas não é só. Apesar de, à semelhança dos seus compatriotas, Rise abraçar muitas outras influências, desde momentos surpreendentemente calmos até explosões e blast beats death metal, os R.O.T.A. acabam por ir na mesma direção embora seguindo um caminho diferente. Mas esse caminho também abarca tudo: progressivo, étnico, orquestral, coral, sinfónico. Sempre com forte ênfase nas linhas melódicas (frequentemente conduzidas por texturas de piano de belo efeito e apontamentos vocais de intensa sensualidade – masculinos ou femininos) que se desenvolvem sobre estruturas complexas e intricadas embora não impeditivas de uma clara perceção do tema. Como o próprio nome da banda deixa transparecer são estruturas desenhadas com o rigor e classe de um conjunto de arquitetos e que origina temas com arquiteturas arrojadas. Rise é composto por 15 temas divididos por três atos que fazem parte de um trabalho conceptual sendo esta a primeira parte e nele é possível ouvir algumas participações de relevo como Jeff Scot Soto (Yngwie Malmsteen, Journey), Mike LePond (Symphony X) e Joost Van Den Broek (Ayreon, After Forever).
 
Tracklist:
Act I
01 – Set
02 – Different Heart
03 – Hymn to Loneliness
04 – False
05 – Such a Celebration
06 – Leaking Wounds
07 – Distant Similarities
 
Act II
08 – One Single Sour Grape
09 – …As the Old Turns to Sorrow
10 – I, the Architect
11 – Secrets in the Hallway
12 – Crown of Shattered Dreams
13 – The Green Flame
 
Act III
14 – We Must Retaliate
15 – Hopeless War
 
Line-up:
Yuval Kramer – guitarras
Tom Gefen – vocais (The Architect)
Davidavi Dolev – vocais (Storyteller, Father, Razor)
Nina Vouraki – piano (nas faixas 3, 11 e 13)
Mauricio Bustamante – bateria
Mike LePond – baixo (nas faixas 2, 3, 9, 13 e 14)
Kyle Honea – baixo (nas faixas 4, 6, 7, 11, 12 e 15)
Adva Kramer – vocais (The Teacher, Rapture)
Grace Hannah Woolf – vocais (The Girl)
Yotam Avni – vocais (Ruin)
Jeff Scot Soto – vocais (The President na faixa 14)
Joost Van Den Broek – solo de teclados (na faixa 7)
Assaf Levy – guitarra solo (nas faixas 4 e 9)
Dark Serpent – Soldiers (na faixa 15)
 
Internet:
 

Comentários