Review: Time Machine (Nektar)

Time Machine (Nektar)
(2013, Purple Pyramid)
(5.6/6)

Os lendários Nektar estão de regresso com o seu 13º trabalho, primeiro com temas originais em 4 anos. Time Machine foi apresentado pelo próprio Roye Albrighton como o melhor disco da carreira dos britânicos e, sem dúvida, que essa afirmação aumentou os níveis de exigência de fãs e critica. O coletivo que ainda recentemente viu um dos seus melhores trabalhos, Remember The Future, ser reeditado, está reduzido a um trio e socorreu-se de Billy Sherwood para gravar este novo trabalho. Isso não é de todo impeditivo de terem criado mais um álbum de eleição. Se será, efetivamente, o melhor da carreira, isso ainda é prematuro. Só o mais importante teste, o teste do tempo, o dirá. Mas que Time Machine é um sensacional disco de rock progressivo, disso não restam dúvidas. É um álbum onde os Nektar mostram uma nova forma de criar complexidade e continuam a sua exploração musical. A Better Way, por exemplo, apresenta aquelas cavalgadas tão típicas de Dream Theater (embora com menor potência, naturalmente), mas é para o final do disco que estão guardadas as maiores provas da criatividade e da exploração dos sons que os Nektar conseguem fazer. Juggernaut é um sensacional instrumental onde o prog anda de mão dada com o jazz, a fusão e até um pouco de música contemporânea. Por sua vez, Diamond Eyes é a faixa onde a componente experimental mais se faz notar. E o que dizer dos ritmos mexicanos, com tendência Mariachi de Set Me Free, Amigo? Tudo evidências de que Time Machine é um disco rico, explorador e profundo. E ainda por cima composto por magnificas melodias, monstruosos solos e grandes canções (em tempo e em qualidade). No fundo, tudo o que um fã de prog rock procura.  

Tracklist:
1.      A Better Way
2.      Set Me Free, Amigo
3.      Destiny
4.      If Only I Could
5.      Time Machine
6.      Tranquility
7.      Mocking The Moon
8.      Talk To Me
9.      Juggernaut
10.  Diamond Eyes

Line-up:
Roye Albrighton – guitarras, vocais
Ron Howden – bateria, vocais
Klaus Henatsch – teclados
Billy Sherwood – baixo

Internet:


Edição: Purple Pyramid

Comentários