sexta-feira, 16 de agosto de 2013

Review: I Will Be Me (Dave Davies)


I Will Be Me (Dave Davies)
(2013, Independente)
(4.8/6)

 
O homem que ficou conhecido por ter revolucionado o rock ao inventar a distorção; o homem fundador dos seminais The Kinks; o homem, presente no Rock ‘n’ Roll Hall Of  Fame está de regresso. Dave Davies é o nome desse homem. I Will Be Me, um disco de 13 temas novos, de cariz autobiográfico e cheio de convidados – entre outros: The Jayhawks, Anti-Flag, Dead Meadow, The Art, Geri X. 13 temas divididos entre o punk rock (Little Green Amp ou Livin´In The Past), o country (Remember The Future), baladas (When I First Saw You) e o pop/rock tipicamente anos 60 (Midnight In L.A.). 13 temas com fases cruas e ásperas e outras adocicadas por violinos (The Healing Boy – tema onde ainda se pode ouvir um xilofone em momento de embalar, ou não fosse este tema dedicado ao seu recente neto), por vozes femininas (When I First Saw You) ou de grande musicalidade (You Can Break My Heart). Mas também com momentos quase neuróticos (Eurotic Neurotic) e até experimentais (Walker Through The Worlds). Portanto, um disco diversificado o suficiente para manter acesa a chama do interesse. E com a típica distorção da sua guitarra. Por exemplo, o tema de abertura, Little Green Amp, está muito conectado com o famoso You Really Got Me quer em termos históricos, quer em termos de riffs utilizados. Os convidados acabam, de facto, por adicionar muito a I Will Be Me, pela sua capacidade de introduzir o cunho pessoal de cada um. Mas que não fiquem dúvidas, também Dave Davies aqui colocou o seu coração e todo o seu sentimento.

 
Tracklist:
1. Little Green Amp
2. Livin’ In The Past
3. The Healing Boy
4. Midnight In L.A.
5. In The Mainframe
6. Energy Fields
7. When I First Saw You
8. The Actress
9. Erotic Neurotic
10. You Can Break My Heart
11. Walker Through The Worlds
12. Remember The Future
13. Cote Du Rhone (I Will Be Me)


 
Line-up:
Dave Davies –vocais, guitarras e teclados
Justin Sane – vocais e guitarras
Chris Head, Ty Segall, Jonathan Lea, Wesley Doley, Joey Horgen, Jason Simon, Oli Brown, Sarah McLeod, Jak Coleman, Simon Jackson, Chris Spedding, Gary Louris – guitarras
Chris # 2, Jurgen Engler, Scott Barnes, Kara Jayne, James Freemantle, Marc Pearlman – baixo
Pat Thetic, Chris Lirtz, Teddy Freese, Mathew Bennett, Mark Laughlin, Steve Kille, Wayne Proctor, Jordan McDonald, Jon Lamont, Tim O’Reagen – bateria
Tom Currier – baixo, piano
Yura Zeleznik – violino
Dannis Davison – órgão, maracas
Bruce Tyner – pedal steel
Geri X, Azaria Byrne, Jon Tufnell, Mark Olson – vocais
Karen Grotberg – piano
 
Internet:
http://www.davedavies.com/
https://www.facebook.com/pages/Dave-Davies/12499331267

 
Edição: Purple Pyramid

4 comentários:

MarcosSantino disse...

Disco sensacional... sempre fui fã dos Kinks e é bom ver este gênio ainda lançando material novo com tamanha qualidade!!

MarcosSantino disse...

Disco sensacional... sempre fui fã dos Kinks e é bom ver este gênio ainda lançando material novo com tamanha qualidade!!

MarcosSantino disse...

Disco sensacional... sempre fui fã dos Kinks e é bom ver este gênio ainda lançando material novo com tamanha qualidade!!

MarcosSantino disse...

Disco sensacional... sempre fui fã dos Kinks e é bom ver este gênio ainda lançando material novo com tamanha qualidade!!