RIP - Malcolm Young (AC/DC) - We Salute You!

Entrevista: Stud

Os Stud já não são uns novatos nestas coisas. Nasceram em 1986 mas, aparentemente, as coisas não correram muito bem. Terminaram e em 2011 regressaram. E em bora hora regressaram porque Out Of The Darkness, aquele que acaba por ser o seu primeiro álbum, é um portento de hinos hard rock/heavy rock. E é a prova que um dos nomes pioneiros da cena finlandesa do género está de boa saúde. Mika Kansikas, guitarrista, respondeu às questões de Via Nocturna.

Viva Mika! Obrigado pelo teu tempo com Via Nocturna e parabéns pelo vosso excelente álbum. Podes apresentar os Stud aos metaleiros portugueses?
Stud é uma banda de heavy rock da Finlândia. Acabamos de lançar o álbum de estreia Out Of The Darkness que representa o estilo de música que realmente gostamos e pelo qual somo conhecidos. A nossa música é pesado e melódico heavy rock. Portanto, Então, quem for fã de rock clássico e metal deve, realmente, ouvir-nos.

Os Stud já nasceram em 1986 e depois pararam. O que aconteceu?
Após vários anos a tocar em clubes locais nós nunca conseguimos dar o salto. Fizemos um single para a maior editora na Finlândia, mas não conseguimos chegar a um acordo para o álbum. Parecia um beco sem saída para nós. Foi também a altura em que alguns de nós começamos a construir família. Portanto, chegou a altura de fazer outras coisas na vida.

E quando sentiram que era o momento certo para voltar? E esse regresso deu-se com a formação original?
A maioria de nós estava a tocar em diferentes bandas ou continuou a fazer música ao longo dos anos, mas foi só em 2011 quando começamos a pensar em fazer algo juntos novamente. Conseguimos encontrar Ari, o nosso vocalista, de quem ninguém tinha ouvido nada durante anos. Ari mostrou-se imediatamente interessado para ver se algo poderia ser feito em conjunto. Em breve, começamos a fazer demos e a ideia de fazer um álbum começou a surgir. Sentimo-nos muito bem, a formação original estava de volta.

E foi uma tarefa fácil voltar depois de tanto tempo? Quero dizer, a indústria musical mudou...
Sim, o negócio da música mudou totalmente. É bom e é mau. É muito difícil vender discos, mas é mais fácil gravar. Na verdade podes realmente gravar e produzir um álbum tu próprio e foi isso que realmente fizemos. Desta forma, tivemos o controlo total do resultado final. A Internet, Facebook, Twitter e todos os outros serviços são realmente importantes para promover as bandas a um nível global. Agora, existem milhares de bandas a fazer a mesma coisa, portanto tens de ter verdadeiro potencial para te destacares.

E a química ainda estava lá?
É engraçado, mas sentimo-nos realmente bem desde o início e as coisas começaram a ir muito bem. E é assim que tem sido desde então. Uma coisa segue a outra e é um processo natural. Depois de fazermos o disco fomos avançando passo a passo. Já tivemos alguns grandes shows, tivemos muito airplay e bons comentários para o álbum, e estamos bem estabelecidos no Facebook e Twitter e acabamos de lançar um vídeo do tema Lovers In The Night, que é, aliás, o primeiro single do álbum. Embora o baixista original Pasi Hietanen tenha decidido abandonar a banda após a gravação do álbum, com Matti Jalonen, o novo membro da banda, temos realmente uma boa vibração.

Os nomes e movimentos que vos influenciaram no vosso primeiro período da vida mantêm-se? Quem são eles?
Há tantas bandas que nos influenciaram ao longo dos anos, mesmo antes de nós começarmos a banda. A nossa música tem fortes raízes musicais naqueles anos. De todo o modo, foi quando foi feita a melhor música. Muitas bandas dos anos 80 atualizaram o seu estilo para combinar com os dias de hoje. Nós não queremos fazer isso. A música que fazemos é o que vem naturalmente para nós, e é o estilo de música que realmente amamos.

Como decorreu o processo de gravação? Estão totalmente satisfeitos com o resultado final?
Estamos muito satisfeitos com o álbum. Quando começamos a gravar, havia três elementos que queríamos que o álbum tivesse: energia, emoção e honestidade. Espero que consigam encontrar essas coisas quando o escutarem. Queríamos que o álbum soasse bem, então usamos tecnologia moderna e colocamos muito esforço e dinheiro para fazer o melhor. É realmente incrível o quão rápido nós gravamos as faixas básicas para o álbum. O resto do trabalho, no entanto, levou-nos um pouco mais de tempo.

Depois do que foi dito, como você descreverias Out Of The Darkness nas tuas próprias palavras?
O álbum tem muita variedade. Músicas rápidas, mid-tempo e até mesmo uma balada. Algumas músicas são mais hard rock, enquanto outras são heavy rock clássico. A última música, Reach Out é um épico de 8 minutos de duração com diferentes partes, lentas e rápidas. A maioria das músicas tem guitarras apelativas e refrães catchy. O que é realmente interessante é que quase todas as músicas do álbum têm vindo a receber airplay nas rádios de todo o mundo. Há muitas músicas boas para aproveitares.

Contam com algum convidado no álbum?
Nós não quisemos ter convidados. Queríamos mostrar o que podíamos fazer com os nossos próprios pés. Foi importante para mostrar o que nós quatro poderíamos fazer juntos.

Pelo que já disseste está aí o primeiro vídeo?
Sim. Acabamos de lançar um vídeo do tema Lovers In The Night. Foi filmado em dois dos nossos espetáculos e foi montado por um amigo nosso. De igual modo que com a gravação, hoje em dia pode-se fazer um vídeo muito mais fácil e o YouTube é um ótimo canal para o disponibilizar para os fãs. As pessoas estão sempre à espera de um vídeo, por isso é muito bom que agora tenhamos um.

A respeito de planos futuros, como tours, o que está na vossa mente ou o que está planeado que possas, desde já, adiantar?
Estamos realmente ansiosos para fazer um monte de shows e festivais esperamos que no próximo verão. Seria ótimo poder tocar a nossa música para as pessoas fora do nosso país, como em Portugal. Iremos fazer a tournée de Out Of The Darkness no próximo ano. Já temos quase todas as músicas prontas para um próximo álbum. Havia um par de canções que sobraram de Out Of The Darkness e que ficaram para o próximo álbum mas que irão ser lançadas ainda antes do álbum. Como vês, estamos realmente ansiosos pelo futuro.

A terminar, mais uma vez obrigado e dava-te a oportunidade de acrescentar mais alguma coisa que não tenha sido abordado nesta entrevista...
Muito obrigado pela oportunidade de falar aos teus leitores sobre a nossa banda e nosso álbum. Saudações a todos os metaleiros em Portugal. Espero que tenham uma oportunidade de ouvir a nossa música. E é realmente muito bom para poder conectarmo-nos com pessoas de todo o mundo. Portanto, liguem-se a nós no Facebook e deixe-nos saber o que está acontecendo.

Comentários