Review: Journey To Madness (Mad Architect)

Journey To Madness (Mad Architect)
(2013, Supertzar Records)
(4.5/6)

Fazendo um pouco de história, rapidamente diremos que os Mad Architect nasceram quando Magnus Daun, Sven Lindsten e o incomparável Snowy Shaw se juntaram em 2011. Um EP em 2012, Dreamworld e eis finalmente o álbum, Journey To Madness. Sempre poderemos afirmar que nunca um nome para um coletivo nem um título de álbum se mostraram tão ajustados. Os Mad Architect são, sem dúvida, um conjunto de loucos (no bem sentido do termo) capazes de arquitetarem as mais complexas e sinistras estruturas de metal. Por isso, este trabalho acaba por ser uma verdadeira viajem pela e até á loucura. Heavy/power metal é o que o quinteto sueco nos oferece. Mas muito dark, sempre em constante movimento, enveredando por caminhos ora de góticos, ora de death metal e criando fases ora melódicas ora extremas. Sempre com uma forte componente teatral, ou não estivesse aqui o Sr. Shawn, um vocalista fantástico, capaz de assumir/interpretar as mais díspares situações/personagens. A um curto intro segue-se uma faixa de puro heavy metal manipulado e distorcido pelos teclados sombrios e vocais extravagantes. Já Dreamworld mostra-se um tema multifacetado com diversas nuances rítmicas e melódicas. Depois de um curto interlúdio sinfónico surge um dos melhores temas, Sailing Away, com um refrão orelhudo, brutal trabalho de bateria e uma sensacional melodia e a balada calma e meditativa, Floating. Ora falamos dos pontos altos. Depois há os temas que, independentemente de toda a criatividade acabam por não resultar muito bem. Pelo menos percebe-se que os exageros em termos de agressividade vocal, por exemplo, na nossa opinião, não resultam. O longo tema bónus que fecha o disco também acaba por não acrescentar nada de novo, ajudando ainda a apagar um pouco a áurea que se vinha a construir. Mas como o importante é reter o que de bom estes Mad Architect fazem, fica a ideia de um coletivo que arrisca, que não se limita ao óbvio, que quer inovar. Um coletivo criativo que cruza a teatralidade com a complexidade de uma forma arrojada. Aconselha-se, por isso mesmo, a sua descoberta e sucessiva exploração.

Tracklist:
1.      Echoes From Beyond
2.      Dreamworld
3.      Universal Law
4.      Mad Architect
5.      Transitions – Part 1
6.      Sailing Away
7.      Floating
8.      Strange Machine
9.      Altered States

Line-up:
Snowy Shaw – vocais
Magnus Daun – guitarras
Erik Ferentinos – baixo
Zven Lindsten – bateria
Jorgen Oscarsson – teclados

Internet:

Comentários