Entrevista: Kick

Os irmãos Mikey e Chris Jones têm tocado juntos em diversas encarnações desde os anos 80. Como Kick já não havia nenhum disco desde 2004, sendo que Mikey Jones lançou, a solo, The Light Of Day em 2006. Memoirs também esteve para ser lançado como trabalho individual de Mikey, mas acabou por prevalecer o nome Kick. O próprio Mikey Jones falou desta e de outras histórias em torno de Memoirs e dos Kick.

Olá Mikey! Obrigado pela tua disponibilidade. Quais são os teus/vossos sentimentos agora que estão de regresso aos originais com um novo disco?
Olá, estou feliz que as músicas tenham sido publicadas, mas houve muita discussão sobre a possibilidade de lançá-lo como um álbum a solo de Mikey Jones ou como um álbum de Kick. A decisão foi instigada por Chris. Nick estava ocupado com os Vega, por isso aproveitei a oportunidade e escolhemos o nome de Kick. Comecei a escrever e a gravar depois do meu primeiro álbum solo, The Light Of Day. Reparei que atribuíste uma classificação alta ao álbum e agradeço-te. Memoirs teve classificações mistas e sinto que aqueles que não concordaram com a direção que tomamos musicalmente, ou por ter decidido cantar nesse álbum, que o tenham classificado mais baixo. Não fiquei surpreendido com essa reação. O padrão de escrita e execução continua o mesmo, por isso estou satisfeito com isso!

Mas como Kick já estavam em silêncio desde 2004 com o álbum New Horizon. Porque tanto tempo sem qualquer registo dos Kick?
The Light Of Day foi lançado há mais de 7 anos atrás e tenho estado muito ocupado com as minhas duas filhas pequenas. Irei tentar ter outro álbum dentro dos próximos 2 anos! E também Nick Workman teve sucesso com os Vega - eles são uma boa banda e fantástica ao vivo, portanto ele vai para a frente com eles.

É verdade, The Light Of Day foi o teu primeiro álbum a solo. Como foi essa experiência?
The Light Of Day foi uma experiência muito diferente. Tentei muitas coisas novas no álbum, tive um grande contrato, tive alguns bons comentários talvez devido ao facto de ser um álbum a solo e não um álbum de Kick. Os críticos entenderam o que eu estava a tentar fazer!

De regresso a Memoirs, foram só vocês dois que trabalharam neste disco ou tiveram algumas participações especiais no processo de composição?
Eu escrevi as músicas - não, não existem quaisquer participações especiais! Eu adoraria trabalhar com Chris Daughtry, se a oportunidade surgisse - grande voz!

E músicos? Também são só vocês que tocam em Memoirs?
Chris e eu tocamos e produzimos o álbum - em geral, eu gravei as guitarras ritmo e baixo e Chris fez o resto.

Em comparação com os vossos trabalhos anteriores, como avalias Memoirs?
Espero que cada álbum seja um pouco diferente do anterior, mas irei sempre querer apresentar boas canções, catchy! É a coisa mais importante para mim!

Por que razão um título como Memoirs? Trata-se das vossas memórias no cenário rock ou outras?
Thrill-seeking Junkie originalmente chamava-se Memoirs e é uma das minhas músicas favoritas, portanto foi uma escolha natural para título do álbum. Já escrevo músicas há 25 anos e acho que já pus todas as minhas experiências de vida em álbum. Também gosto de Urban Refugee e Round and Round. Sinto-me orgulhoso da forma como soaram!

Existe uma versão deste álbum com duas faixas bónus. Que músicas foram escolhidas?
Chris gostou muito do tema The End Of Time do álbum The Light Of Day. Fiz a remistura – bem como do álbum inteiro - para o iTunes. Essa música tem uma grande dinâmica e Chris disse que parecia muito dark quase ao estilo de um filme de vampiros. Gostei dessa ideia! Fallen Angel foi gravado há muito, muito tempo atrás, mas tem resistido ao teste do tempo - quando a ouvi pela primeira vez após mais ou menos 15 anos, pensei, sim, colocamo-la no álbum como um bónus - bang!

Ao longo da tua carreira também trabalhaste com outros projetos. Que experiências consideras mais relevantes?
Olhando para trás, o nosso álbum Freefall ganhou muita atenção em 1997 - era diferente do que outras bandas faziam na altura. Eu cantei nesse disco mas depois encontramos Nick Workman e nasceram os Kick. Tenho gostado de escrever canções vai para um quarto de século e tenho sorte de ser capaz de tocar guitarra, baixo e teclados também, por isso irei continuar a dar à luz novas músicas! XL era mais Def Leppard que os próprios Def Leppard - foi gravado na mesma altura que o Adrenalise foi lançado. Adorei essa altura e eu teria sido uma substituição adequada para Steve Clarke (RIP) quando ele faleceu. Infelizmente, os Leppard escolheram aquele sujeito irlandês!

Já tens alguma tournée planeada?
Não há planos para uma tournée, mas quem sabe, talvez carreguemos novamente a nossa carrinha e ‘bora lá tocar ao vivo! Chris, o que vais fazer na próxima semana......??!

Mais uma vez obrigado por este espaço! Queres acrescentar mais alguma coisa?
Apenas aquilo que digo sempre: OBRIGADO a todos os que mantém o rock vivo independentemente de quem são e do que fazem. Eu também sou um grande fã de rock é claro e escrever músicas é a minha contribuição. Saudações!

Comentários