sexta-feira, 24 de janeiro de 2014

Entrevista: Stonecast

Poderá haver muita gente por aí que não conhece os Stonecast. No entanto, se vos dissermos que neste segundo trabalho dos gauleses quem assegura a bateria é o lendário Rhino (ex-Manowar) talvez o interesse suba. E se adicionarmos que a banda se prepara para abrir para outra lenda – Blaze Bailey, então fica assegurada e confirmada a qualidade deste coletivo de epic metal. Heroikos é o nome deste novo trabalho e Via Nocturna foi conhecer um pouco mais da banda numa conversa com Seb “Cazu” Casula (guitarrista) e Franck “Kanon” Ghirardi  (vocalista).

Obrigado pela disponibilidade para Via Nocturna. Quais são os vossos sentimentos agora que têm um novo álbum cá fora?
Viva e obrigado por nos concederes esta entrevista no teu webzine. Heroïkos está definitivamente cá fora e estamos muito entusiasmados pelo feedback positivo e sólido que recebemos. Não vamos dizer que é um alívio porque estávamos confiantes com o resultado, uma vez que reflete o estado de espírito absoluto da banda neste momento, não importando o que as pessoas iriam pensar. Não pretendemos reinventar qualquer tipo de Metal, só colocamos todo o nosso esforço no que fazemos. Isto é o que nós somos e como nós consideramos o Heavy Metal. Temos a chama e esta queima em todo este álbum!

Em comparação com a vossa estreia, como descreveriam Heroikos?
Definitivamente mais conseguido, épico e apaixonado. Ao contrário do nosso primeiro álbum (Inherited Hell) não tivemos medo de arriscar com ideias eficazes. Os arranjos são menos cerebrais, mais inteligentes e muito mais emotivos neste momento. Além disso, é um disco muito mais coerente. Semeamos algumas sementes épicas em Inherited Hell, com canções como Jaeger: Epic Of The Last Hunter e Compagnons. Cumprimos a nossa sede de fazer Epic Heavy Metal por todo o lado, sem compromisso algum. Agora os desenhos que se vêm no álbum e no booklet de Heroikos refletem perfeitamente a nossa direção artística. Heroïkos estabelece as bases do que realmente é Stonecast.

Existe algum significado em particular para Heroikos?
Heroikos literalmente significa épico. Essa é a chave para o nosso disco. Não poderia ser melhor descrito do que isso. As nossas músicas contam histórias fortemente inspiradas pelas nossas raízes mediterrânicas e do património latino/helénico em geral. Na verdade, tivemos, obviamente, mais afinidades para escrever canções sobre o Rei Leônidas e os 300 espartanos (The Barbaric Rhyme) ou a ascensão de Spartacus (Gods of Dust), fatos históricos e lendas próximas de nós. Além disso, há um link escondido entre as nossas músicas relacionadas com o livro de Hesiode Five Ages Of Men. São idades da pedra, prata, ouro, deuses-homens e latão. Cada uma das nossas músicas encaixa-se numa determinada idade, até a última faixa do álbum Savage Princes, na qual trazemos a ideia para uma sexta idade. O que seria?

Podemos então dizer que existe um conceito em Heroikos?
Gostamos de dizer que há um Heroïkos dentro de cada um de nós. Todos somos sensíveis a histórias heróicas, seja o underdog a bater as probabilidades ou o homem a trabalhar duro dia após dia. Podemos projetar-nos no que, de uma forma ou de outra todos nós nos preocupamos. O Heavy Metal ajuda-nos, de alguma forma, a empurrar os nossos limites e a aliviar a nossa carga. Heroikos é um disco motivacional, empurrando a ideia de viver a sua vida ao máximo. E criando suportes para superar qualquer obstáculo que surja no caminho.

E como surge o lendário Rhino como vosso baterista? Ele é membro efetivo dos Stonecast ou apenas um músico de sessão?
Nem uma coisa nem outra! Ele é o poderoso Rhino que nos concedeu a honra de gravar connosco, já que ele estava muito entusiasmado de poder participar nesta viagem épica. O tempo dirá se haverá um outro capítulo com Rhino & Stonecast. Por enquanto ele vive a sua vida na Flórida e tem os seus projetos pessoais e musicais.

Em março irão tocar com outra lenda: Blaze Bailey? Como estão as vossas expectativas e os níveis de adrenalina?
Blaze é uma pessoa maravilhosa, tanto como ser humano como músico. Adoramo-lo porque ele encarna a fé e paixão. Ele está perto dos seus fãs e ainda oferece o desempenho mais forte possível, todas as noites. Ele dá tudo. É um modelo para nós, é único. Foi ele quem nos deu a força para superar tempos difíceis. Estamos a falar de aspetos motivacionais do heavy metal numa fase inicial. Bem, se vais com Blaze Bailey nada pode resultar mal! Poder dividir o palco com ele é uma verdadeira honra. Vai ser uma grande noite, com certeza.

O que há planeado a respeito de tours?
Estamos a trabalhar nisso, mas ainda não está nada confirmado no que diz respeito a uma tournée. Já agendamos alguns espetáculos aqui em França para fevereiro/março. Falhámos uma tournée para Inherited Hell devido a questões de line-up... foi uma tal frustração! Hoje temos um line-up forte e mais do que pronto para subir ao palco. As luzes estão verdes, por isso é apenas uma questão de oportunidade. Estamos esperançados em ver-vos o mais o mais breve possível!

E têm outros projetos para 2014?
Para 2014 temos a intenção de tocar tanto quanto nos for possível, não importa onde. Queremos entregar o nosso metal para os metalheads, ter grandes momentos, cavalgar o inferno, beber cervejas e fazer tudo de novo na próxima cidade. Essa é uma ideia básica, com certeza, mas já provou ser totalmente eficaz no humor das pessoas cada vez que nos entregamos em palco. O público do metal deve ter uma explosão num concerto de metal porque eles merecem!

Mais uma vez obrigado! Querem acrescentar mais alguma coisa que não tenha sido abordada nesta entrevista?
Obrigado pelo teu apreço por Heroikos e por esta entrevista que certamente irá chamar a atenção da nossa fraternidade portuguesa. Se gostam de Stonecast, por favor, entrem em contato com o vosso promotor local. Nós gostaríamos de sentir o poder das filhas e filhos de Ferro, Aço e Heavy Metal de Portugal! Aconteça o que acontecer, mantenham-se HEROIKOS!

Sem comentários: