sábado, 11 de janeiro de 2014

Review: Long Way Down (Glass House)

Long Way Down (Glass House)
(2013, Independente)
(4.1/6)

Oriundos de Oakland os Glass House são um duo composto por David Worm (conhecido pelo seu trabalho com Bobby McFerrin) e pelo multi-instrumentista Mark Vickness. Long Way Down, o seu novo trabalho, mostra-se fortemente influenciado por nomes como Sting, Paul Simon e Peter Gabriel resultando num cruzamento entre o intricado trabalho de guitarra de Vickness e os excelentes vocais, muito bluesy, de Worm. Um trabalho que reflete, também, a variedade de influências do duo, variando desde a introdução de um quarteto de cordas funky em Turn Away até à world music em Build A Bridge. Maioritariamente acústico, com linhas melódicas suaves, Long Way Down é um disco honesto mas muito linear. Um disco onde faltam algumas explosões o que origina, principalmente nas faixas centrais, alguma apatia e saturação. No entanto, a junção da bela voz de Worm com o trabalho de Vickness, adicionado de um conjunto de outros elementos, como violinos ou percussões, ajuda a que a audição acabe por se tornar um pouco mais apelativa embora nunca excessivamente excitante.

Tracklist:
1.      Build A Bridge
2.      Waiting For You
3.      Turn Away
4.      Broken Arrow
5.      Long Way Down
6.      Bring Me The Hammer
7.      Thank You
8.      Where I Belong
9.      For Now
10.  Questions

Line-up:
Mark Vickness – guitarras
David Worm – vocais

Convidados:
John Evans – baixo
Scott Amendola, MB Gordy e Alan Hall – bateria
Ty Burhoe – table
Mads Tolling – violin
Ashling Cole e Juliana Graffagna – vocais
Turtle Island String Quartet

Internet:

Sem comentários: