terça-feira, 28 de janeiro de 2014

Review: Revenant (Tad Morose)

Revenant (Tad Morose)
(2013, Despotz Records)
(4.0/6)

Desde Modus Vivendi que os Tad Morose não gravavam nada. E isso quer dizer que já lá vão 10 anos. A banda que começou no campeonato do progressivo, evolui para um hard/heavy e agora, na sua nova fase, situa-se claramente num cenário heavy metal. Em Revenant, os suecos procuram no passado algumas referências e por isso até alguns pormenores progressivos é possível encontrar alguns resquícios num tema como Gypsy. Todavia, o dominante são maciças doses de riffs musculados que nascem no heavy metal tradicional mas que acabam por desaguar em linhas metálicas mais contemporâneas, onde nem a existência de picos de agressividade vocal faltam. De forma resumida, a nova vida dos Tad Morose carateriza-se por muito músculo, alguns coros interessantes, riffs fortes e alguns berros. Sinceramente esperávamos mais. Revenant acaba por ser um disco linear, com a exceção de temas como o já citado Gypsy ou Follow, que se vai repetindo, às vezes de forma monótona.

Tracklist:
1.      Beneath Of A Veil Of Crying Souls
2.      Follow
3.      Babylon
4.      Within A Dream
5.      Ares
6.      Absence Of Light
7.      Death Embrace
8.      Dance Of The Damned
9.      Spirit World
10.  Timeless Dreaming
11.  Millenium Lie
12.  Gypsy

Line-up:
Tommie Karppanen – baixo
Kenneth Jonsson – guitarras
Christer ’Krunt’ Andersson – guitarras
Ronny Hemlin – vocais
Peter Morén – bateria

Internet:

Edição: Despotz Records

Sem comentários: