terça-feira, 18 de fevereiro de 2014

Review: Hydra (Within Temptation)

Hydra (Within Temptation)
(2014, MBG)
(5.8/6)

Depois de dois grandes álbuns em 2004 e 2007 (The Silent Force e The Heart Of Everything, respetivamente), os Within Temptation marcaram passo com The Unforgiving em 2011. Quando referimos marcar passo, queremos dizer que, independentemente do conceito, o álbum acabou por não ser capaz de se aproximar do nível de excelência já apresentado. Três anos tiveram os holandeses para preparar a nova proposta e não fizeram por menos: assinam, provavelmente, o seu melhor álbum de sempre. A tudo o que de bom os Within Temptation têm – fenomenais vocais, brilhantes melodias, atmosferas de encantar – acrescentam agora uma dose extra de poder ao nível da secção rítmica e das guitarras. Para este trabalho verifica-se a adição de um novo guitarrista (Stefan Hellblad) e percebe-se porquê: ele é realmente preciso, uma vez que Hydra é um disco virado para as guitarras como nenhum trabalho dos holandeses havia sido. Isso não implica que alguém perca protagonismo, porque o coletivo Within Temptation continua a ser mais importante que o individualismo, mas algumas nuances novas são adicionadas. Ponto alto deste trabalho é o dueto com a diva Tarja Turunen. Duas vozes fenomenais juntas num tema poderoso que fará as delícias dos fãs. Já agora refira-se que os convidados acrescentam muito a este álbum: Howard Jones têm uma prestação fantástica em Dangerous, outro tema bastante forte melódica e ritmicamente; Xzibit integra muito bem o seu hip hop no tema And We Run, mais calmo, muito melódico, com teclados bombásticos e com coros e vocalizos sensacionais; Dave Pirner ajuda a fechar o álbum com distinção em Whole World Is Watching num dueto cheio de emoção. Mas nos temas onde não há colaborações também há uma enorme qualidade, criando-se temas fortes, pesados, com passagens atmosféricas e sinfónicas (embora não tão evidentes como em tempos idos) com enormes e memoráveis melodias vocais, introduzindo-se solos com grande rigor e beleza, incorporando espontâneas mudanças rítmicas e até  groove. Hydra é, por tudo o que foi dito, um sério candidato a álbum do ano e para já coloca os Within Temptation no lugar mais alto do campeonato do metal melódico com vocalista femininas. Em resumo, Hydra é um álbum indispensável.

Tracklist:
1.      Let Us Burn
2.      Dangerous
3.      And We Run
4.      Paradise
5.      Edge Of The World
6.      Silver Moonlight
7.      Covered By Roses
8.      Dog Days
9.      Tell Me Why
10.  Whole World Is Watching

Line-up:
Robert Westerholt – vocais, guitarras
Ruud Jolie – guitarras
Martijn Spierenburg – teclados
Mike Coolen – bateria
Sharon den Adel – vocais
Stefan Hellblad - guitarras
Jeroen van Veen - baixo

Internet:

Edição: BMG

Sem comentários: