Review: Steam Radio Tapes/Dogface/Deep Water (Gary Windo)

Steam Radio Tapes/Dogface/Deep Water (Gary Windo)
(2013, Gonzo Multimedia)

Gary Windo (7 de Novembro de 1941, Brighton – 25 de Julho de 1992, Nova Iorque) foi um daqueles músicos que nunca tiveram o merecido reconhecimento. Pelo menos enquanto vivo. Músico de grande criatividade, com um estilo facilmente reconhecível, Windo esteve envolvido com a Canterbury scene durante os anos 70. A destacar o trabalho com Robert Wyatt nos álbuns Rock Bottom (1974) e Ruth Is Stranger Than Richard (1975) e com Hugh Hopper em 1984 (1973) e Hoppertunity Box (1976). Em março de 1970 tomou parte na all-star jam session no Graham Bond’s Sun Festival no The Roundhouse, com Jack Bruce, Mitch Mitchell e Brian Auger. Um ano mais tarde, foi convidado para integrar a Centipede, orquestra de 50 elementos. Ainda em 1971 fundou, com Robert Wyatt, a banda de prog-rock Symbiosis. Em 1973 formava o quarteto de jazz WMWM. Durante este período, continuou a fazer tournées com os Brotherwood of Breath e a ter aparições ocasionais com a Centipede. Depois criou a Gary Windo & Friends com a sua esposa Pam Windo no piano. Este projecto acabaria por ser o percursor de Steam Radio Tapes. Em 1979 emigraria para os Estados Unidos onde continuou a participar em diversos projectos e a desenvolver os seus estudos ao nível do saxofone. Saxofonista excêntrico, Gary Windo era um homem do jazz, com coração de rock ‘n’ roll e alma de R’n’B. E isso fica plenamente demonstrado neste conjunto de três álbuns agora disponibilizados. 

Steam Radio Tapes
(4.4/6)
Gravado em 1976 e 1977 nos estúdios Britannia Row (estúdios dos Pink Floyd) com, nada mais nada menos que o próprio Nick Manson (membro original dos Pink Floyd e o único que gravou todos os álbuns da banda) como produtor e baterista em algumas faixas, o álbum Steam Radio Tapes nunca chegou a ser lançado. Mason recorda que o estúdio tinha acabado de ser concluído e algumas gravações foram feitas como forma de teste de todos os sistemas. São 9 temas em que o rock ‘n’ roll, o jazz, a fusão, o psicadelismo, o experimentalismo, o disco e até a MPB se cruzam de forma livre, criativa e absolutamente estonteante. Quatro dos temas são vocalizados e/ou cantados, mas é nos instrumentais que estão os melhores momentos: Night Train, Missy e Red River Valley.

Tracklist:
1.      Ginkie
2.      Come Into My Garden
3.      Night Train
4.      Stand Fast
5.      Sweetest Angel
6.      Letting Go
7.      Is This The Time?
8.      Missy
9.      Red River Valley

Line-up:
Gary Windo – clarinete, saxofone, vocais
Nick Griffiths – bell
Steve Hillage, Richard Brunton – guitarras
Terri Quaye, Robert Wyatt, Julie Tippens – vocais
Gary Moberly, Carla Bley, Pam Windo – piano
Mike Hugg – clavinete, órgão, sintetisador
Hugh Hopper, Bill MacCornick – baixo
Peter van Hook, Laurie Allan, Nick Manson - bateria
Lindy Mason – flauta
Harry Beckett – fliscorne
Nana Tsboe – congas

Dogface
(4.5/6)
Já nos Estados Unidos, Windo andou em tournée como convidado da banda rock ‘n’ roll NRBQ e dos Psychedelic Furs. Tocou com os Pam Wind & The Shades e gravou aquele que viria a ser o seu primeiro trabalho a solo, Dogface em 1982. Trabalho a solo é uma forma de falar, porque, na realidade, Dogface é uma coleção de temas gravados pelas diversas bandas onde Windo tocou: NRBQ, Pam & Gary Windo, Gary Windo & The Woofs, Gary Windo & The Wet Dogs, Gary Windo & The Chows e Gary Windo & K9’s. No fundo todos os projetos (com exceção dos NRBQ) são variações de Pam Windo & The Shades. Dogface tem como linha condutora uma estranha e louca temática – o cão – e mantém toda a exuberância do sax mas enriquecida pela existência de outros protagonistas como o honky tonky e a guitarra e a assunção de uma maior tendência rock ‘n’ roll. Por outro lado, a par da presença de momentos paranoicos (Lassie Breaks Out é uma verdadeira cacofonia, por exemplo!) existem bastantes momentos com enorme musicalidade, sendo Puppy Kisses, Feela Dog, Don´t Be Cruel, Baxter e That’s All os melhores exemplos. Isto faz com que Dogface seja o melhor dos três trabalhos agora apresentados.

Tracklist:
1.      Puppy Kisses
2.      Feela Dog
3.      Guard Duty
4.      Rex And Spot Meet The International Bitches
5.      Hound
6.      Dogface
7.      The Husky
8.      Don’t Be Cruel
9.      Baxter
10.  That’s All
11.  Lassie Breaks Out

Line-up:
Gary Windo – vocais, saxofone
John Platania – guitarras
Parm Windo – piano, teclados, xilofone
John C. Marsh – baixo
Ron Riddle – bateria
Joseph Spampinato – baixo, harmonica
Tom Ardolino – bateria
Ted Orr – guitarras, percussão, vocais
Rober Gelles – guitarras, percussão
David Oliver – teclados, moog
Nicky Parker - bateria

Deep Water
(4.1/6)
Entre 1984 e 1988 liderou o seu próprio quarteto rock, com um conjunto sólido de músicos, a The Gary Windo Band, com Knox Chandler na guitarra, Jack Robinson no baixo e Steve Moses ou Jamie Russel na bateria. Este álbum, Deep Water, foi originalmente lançado pela Island Records em 1987, como resultado dessa experiência. Claramente mais orientado para o rock, embora com a mesma exuberância do sax, apresenta estruturas menos complexas, bateria mais dura e solos de guitarra mais frequentes. No entanto, acaba por perder muita da magia existente anteriormente. Cinco temas são cantados e/ou vocalizados. Os temas mais relevantes são Don´t Bite Too Hard (Your Teeth Are Too Sharp), Subway Love e Ghosts, mas Deep Water acaba por ser o disco menos conseguido desta coleção.

Tracklist:
1.      Deep Water
2.      Blonde Country
3.      Clean Machine
4.      Don´t Bite Too Hard (Your Teeth Are Too Sharp)
5.      Ginkie
6.      Subway Love
7.      Ghosts
8.      Breakfast In Bed
9.      Sister Europe

Line-up:
Gary Windo – saxofone, vocais, clarinet
Knox Chandler – guitarras
Jack Robinson – baixo
Steve Moses – bateria
Ann Sheldon - violoncelo

Internet:

Edição: Gonzo Multimedia

Comentários