quinta-feira, 29 de maio de 2014

Review: Blue Horizon (Wishbone Ash)

Blue Horizon (Wishbone Ash)
(2014, Solid Rockhouse Records)
(5.4/6)

Os Wishbone Ash, uma das mais influentes bandas de rock, estão de regresso com mais um disco, Blue Horizon. Após 45 anos de carreira, mantendo apenas um elemento da formação original (o guitarrista e vocalista Andy Powell), os britânicos atacaram a composição deste novo álbum depois do seu anterior, Elegant Stealth ter sido considerado como o seu melhor trabalho. Acreditamos que com toda a experiência acumulada e já não tendo nada a provar, a palavra pressão nunca tenha existido para Blue Horizon. E assim sendo, este volta a ser um disco àWishbone Ash. Será este, sem dúvida, o melhor elogio que se pode fazer. Rock clássico com um pouco de blues e até de prog, num disco com ambos os pés no rock dos anos 60 (Pink Floyd, Yes, The Beatles moram por ali!) é o que aqui se apresenta. Os dois guitarristas continuam, como sempre, a brindar-nos como um delicioso trabalho quer quando estão solos, quer nas twin guitars (afinal, foram estes senhores que inventaram a técnica), nomeadamente em temas como a espetacular e hard rockeira Deep Blues (a lembrar o trabalho de ZZ Top) ou a bluesy Mary Jane. Dois temas de topo a liderar um conjunto de mais oito grandes canções de rock clássico, que vão crescendo em nós à medida que as vamos explorando. Assim, dado ao que nos é dado ouvir, só resta pedir aos Wishbone Ash que continuem, pelo menos mais 45 anos a espalhar o perfume e a magia do seu rock. Para já o horizonte é azul… e brilhante!

Tracklist:
1.      Take It Back
2.      Deep Blues
3.      Strange How Things Come Back Around
4.      Being One
5.      Way Down South
6.      Tally Ho!
7.      Mary Jane
8.      American Century
9.      Blue Horizon
10.  All There Is To Say

Line-up:
Andy Powel – guitarras, vocais
Muddy Manninen – guitarras
Bob Skeat – baixo
Joe Crabtree – bateria

Músicos adicionais:
Pat McManus – violino em #1 e #10; violin em #10
Lucy Underhill – backing vocals em #3 e #8
Richard Younr – percussões em #3
Tom Greenwood – órgão em #9

Internet:

Edição: Solid Rockhouse Records

Sem comentários: