quinta-feira, 14 de agosto de 2014

Review: Condemned To Hope (Black Moth)

Condemned To Hope (Black Moth)
(2014, New Heavy Sounds)
(5.0/6)

Originários de Leeds, os Black Moth são apresentados como uma banda de doom rock. E ao segundo álbum, Condemned To Hope, confirmam os predicados anteriormente exibidos no trabalho de estreia, The Killing Jar, de 2012, que os levou a serem descritos como um cruzamento entre os Electric Wizard e os Band Of Skulls. Mas quando somos assaltados pelas cadências lentas, as guitarras melódicas a seguir a melodia vocal e as alterações rítmicas de Tumbleweave, tudo indica que a banda se irá mudar para territórios dos Candlemass. Puro engano e os temas seguintes encarregar-se-ão de provar isso mesmo, com a banda a recuperar uma séria de influências que vão dos Black Sabbath até às L7, passando pelos The Stooges e a cruzá-las de uma forma inteligente. Assim se mistura doom, heavy, psicadelismo e experimentalismo sendo que, esta mistura aparece envolvida por muito powergroove. Mas também por soul, como por exemplo em Red Ink ou Stinkhorn e até blues/cabaret/rockabilly (Slumber With The Worm). Pelo que se percebe, doom rock acaba por ser uma descrição algo redutora para o que esta criativa banda britânica faz. E por isso, o melhor mesmo é cada um descobrir por si próprio todos os cenários criados pelo coletivo e deixar-se conduzir por todos os diferentes caminhos.

Tracklist:
1.      Tumbleweave
2.      Set Yourself Alight
3.      Looner
4.      The Undead King Of Rock n Roll
5.      The Last Maze
6.      White Lies
7.      Red Ink
8.      Room 13
9.      Stinkhorn
10.  Slumber With The Worm
11.  Condemned To Hope

Line-up:
Dave Vachon – baixo
Nico Carew – guitarras
Dominic McCready – bateria
Jim Swainston – guitarras
Harriet Bevan - vocais

Internet:

Edição: New Heavy Sounds

Sem comentários: