sexta-feira, 12 de setembro de 2014

Entrevista: Hell's Chopper

As motos e o heavy metal desde sempre andaram de braços dados e é muito desse espirito de liberdade e risco que os Hell’s Chopper transportam para o seu heavy metal clássico. A banda transalpina fez a sua primeira viagem – First Ride - e não se deu nada mal. O baixista Jacopo Longhi apresentou este novo coletivo aos nossos leitores.

Olá Jacopo! Quem são os Hell’s Chopper? Podes apresentar o coletivo aos rockers portugueses?
Viva, somos 5 rapazes de Lecco (Itália) que crescemos juntos com a mesma paixão pela música, especialmente pelo heavy metal e que decidiram formar uma banda e começar a tocar numa sala de ensaio por divertimento. Começamos a fazer alguns shows locais, gravamos a primeira demo, tivemos algumas mudanças nos membros da banda e, quando encontramos o nosso equilíbrio, começamos a trabalhar no nosso primeiro álbum. E agora, aqui estamos para nos promovermos.

Porque um nome como Hell’s Chooper? Algum significado em particular?
O nosso nome, Hell’s Chopper surgiu ell’sHsurgiu durante uma noite num pub! Éramos uma banda, por isso precisávamos de um nome. Todos começaram a dizer os nomes que lhes vinham à cabeça e Hell’s Chopper foi o melhor. Só isto! É um nome imponente, que representa a nossa música e o mundo do motociclismo (festas, motos, cerveja ...) - as nossas paixões.

Qual é o vosso background musical antes de Hell’s Chopper? Todos vocês já tocavam noutras bandas antes?
Eu comecei diretamente com os Hell’s Chopper; o Paul já tinha cantado numa banda de thrash metal (Sententia); Gigo foi guitarrista e vocalista de uma banda punk local; Patrick e Rusco tocaram juntos numa banda de metal durante algum tempo: Patrick foi o vocalista e Rusco o baterista. Felizmente na nossa banda encontraram um papel que é melhor para eles!

A cena Heavy Metal dos anos 80 parece ser a vossa principal influência. Provavelmente vocês são mais jovens que as bandas que vos inspiram. Como surgiu todo esse sentimento retro?
Sim, é verdade, certamente as bandas que nos influenciaram e influenciaram-nos muito são as dos anos setenta e oitenta... nós somos muito mais jovens, mas a maioria deles ainda estão muito ativos na cena atual, por isso não é muito estranho que eles afetem a nossa música. Não posso dizer exatamente onde eles influenciam as nossas vidas, talvez a nossa filosofia de vida, principalmente. Como diziam os Motorhead: Nascer para perder, viver para vencer!".

Este é o vosso primeiro álbum, certo? Foi uma tarefa difícil?
Sim, First Ride é o nosso primeiro álbum. A principal dificuldade talvez tenha sido a abordagem necessária aos registos, mas acho que é normal. Gravar um álbum é diferente de uma performance ao vivo. Nós preferimos estar no palco e não num estúdio de gravação. Mas assim que tivermos um bom número de novas músicas, vamos começar com o nosso segundo álbum. Não vai demorar muito tempo!

Como descreverias First Ride quer musical quer liricamente?
Musicalmente acho que este é um álbum de heavy metal clássico: poderoso, engraçado (assim espero), sem frescuras. Queríamos reproduzir o nosso som ao vivo, sem muitos efeitos. O nosso objetivo era colocar em álbum as músicas que os fãs podem ouvir durante as nossas performances. Do ponto de vista dos textos, acho que são muito diferentes: alguns falam sobre entretenimento, outros são mais sérios. Foram escritos em diferentes momentos e sem um conceito definido, daí os textos terem saído muito diferentes.

Como é o processo criativo nos Hell’s Chopper?
O nosso processo criativo é muito instintivo. Quem tem uma ideia leva-a para a sala de ensaios, toca-a ou canta e a banda tenta tocar qualquer coisa sobre essa ideia. Para este álbum ninguém fez uma única música do princípio ao fim: todos eles nasceram de muitas ideias diferentes que tivemos naturalmente. Obviamente, quando a música toma forma, gradualmente, cada um de nós refina a sua parte.

E o processo de gravação?
A gravação do álbum foi feita em diferentes pistas: em primeiro lugar, a bateria, o baixo, as guitarras, os solos, a voz e por fim os coros. Uma vez tudo terminado, começamos com a mistura e masterização.

Já têm algum vídeo filmado deste álbum?
Até agora não temos nenhum vídeo. Apenas algumas imagens feitas pelos nossos fãs durante os nossos concertos. Devemos começar a trabalhar num vídeo após o verão.

E outros projetos futuros? O que têm em mente? Alguma tournée prevista?
Como já foi dito, vamos começar a trabalhar num videoclipe o que nos vai ajudar muito em termos de visibilidade na web. Estamos agora a trabalhar com a Rock 'N' Growl: eles estão a promover o nosso álbum a nível internacional. Em outubro, vamos começar de novo com as nossas tours ao vivo e vamos continuar no inverno também. Depois vamos começar a gravar o nosso segundo álbum, esperando, entretanto, poder ter alguma editora para o produzir!

Obrigado Jacopo! Foi um prazer conversar contigo! Queres acrescentar mais alguma coisa que não tenha sido abordada nesta entrevista?
Obrigado por esta entrevista! Sugerimos para aqueles que ainda não nos conhecem que ouçam a nossa música e visitem o nosso site. Se estiverem interessados numa cópia do nosso álbum First Ride, podem contactar-nos diretamente (agora não temos qualquer acordo sobre a distribuição internacional). Para quem já é nosso fã, só posso dizer que continuem a acompanhar-nos e a apoiar-nos, porque vamos compensar todo o vosso apoio! Obrigado e até breve!

Sem comentários: