segunda-feira, 27 de outubro de 2014

Entrevista: Los Waves

Os Los Waves são uma das grandes revelações do rock nacional. A banda que já andou por aí como League promete agitar o panorama rockeiro nacional com This Is Los Waves So What, trabalho recentemente lançado de forma independente e com distribuição a cargo da Sony Music Portugal. O núcleo duro do coletivo - Jorge Da Fonseca e José Tornada – juntou-se para nos falar deste projeto nascido em Londres.

Olá pessoal! Obrigado pela vossa disponibilidade. Quem são os Los Waves?
Então, os Los Waves são um projeto de dois rapazes - Jorge Da Fonseca e José Tornada - que se apresenta ao vivo com outros dois - Bruno Santos e Marco Jung - e que tocam algo entre rock, indie, pop e psicadélico.

Uma vez que este projeto nasceu em Londres, pergunto se foi apenas coincidência ou se se deslocaram para lá já com o propósito de começar a trabalhar…
Sempre pensámos em viver em Londres e quando acabámos as primeiras músicas com o nome League, recebemos logo na primeira semana contactos de managers e editoras para reuniões em Londres e isso não nos fez pensar nem mais um minuto. Fizemos as malas e fomos passados dois dias.

Já agora que falamos de nomes, em 2012 chegaram a apresentar-se em Portugal como League, não foi? O que se passou nessa altura?
Voltámos de Londres e editámos o EP Golden Maps na Optimus Discos. Esse ano foi bom, assim de repente quase acabados de chegar fizemos o Paredes de Coura, o Milhões de Festa e o Mexefest.

E o que vos motivou a criar os Los Waves?
Foi apenas uma mudança de nome, muita gente dizia-nos que não nos encontrava na net sob o nome League, por ser demasiado genérico.

Que nomes ou movimentos mais vos influenciaram ou influenciam nesta vossa caminhada?
Humn, talvez o Damon Albarn, a Cat Power, o Devendra Banhart, a Stevie Nicks, os Pink Floyd, os Archive, as Cocorosie.

Já tinham tido outras experiências noutros projetos? Dentro da mesma linha musical orientadora?
Nunca tivemos banda nenhuma conjunta antes. Ah! O Zé tocava numa banda de covers de Blink 182 e Nirvana!

Los Waves é um nome algo… estranho! Algum significado?
Inicialmente seríamos Marble Waves, um efeito de ondas que se produz em minerais como o mármore, mas achámos que Los era muito mais distintivo e ficava mais na cabeça (o tal problema de nos encontrarem).

De que forma é que temas vossos chegaram a séries importantes nos EUA como Gossip Girl ou Mentes Criminosas?
Enquanto tocávamos em Londres conhecemos um pitcher de Los Angeles que ao ouvir o concerto achou que as músicas tinham um potencial comercial grande. Ficámos com o contacto dele e enviámos as coisas e parece que ficou ainda mais convencido.

Acima de tudo muito orgulho ou maior responsabilidade?
Temos orgulho na vertente de projeto que damos à banda, não é apenas um grupo de pessoas que se quer divertir, beber umas cervejas e libertar o stress. Há uma preocupação grande com a composição e com as estruturas e com o entretenimento que as faixas podem dar, de certa forma ficamos contentes por isso se traduzir em coisas como por exemplo as participações nas séries.

De qualquer forma, acredito que essas presenças nessas séries vos tenham aberto algumas portas…
Assim de repente… não. Talvez seja apenas algo que é conteúdo para reportagem e referência mas para nós enquanto oportunidades a surgir daí…nada.

Recentemente lançaram o primeiro longa duração. Como o descreveriam?
É um processo longo que apanha várias fases, uma mais eletrónica, outra com uma exploração mais psicadélica e outra mais rock, mais direta, e em todas sempre presente a preocupação de fazer "canções".

A criação desta obra foi dividida entre Portugal e Inglaterra, certo?
Sim, as músicas mais eletrónicas como a Golden Maps, a Modern Velvet, a How Do I Know,  até a Your World e a Strange Kind Of Love  foram começadas em Londres, num quarto minúsculo, num laptop, só depois foram regravadas para o álbum, as outras foram acabadas cá.

E tem distribuição também na Inglaterra e Estados Unidos. Ainda será cedo para vos questionar nomo está a ser a aceitação nesses mercados?
Sim, ainda não temos muita noção, vamos apanhando algumas estatísticas, principalmente as do facebook que dizem que a maior parte dos likes e dos visitantes mais assíduos vêm dos USA e México e Austrália, imagine-se, mas ainda não conseguimos prever como vai correr com o lançamento do longa-duração.

Em termos de vídeos, já têm alguma coisa retirada de This Is Los Waves So What?
Temos, temos o vídeo da Strange Kind Of Love e o vídeo da Darling e agora vai seguir-se o da Your World.

E em termos de apresentações ao vivo? Alguma coisa agendada para os próximos tempos?
Sim, vamos apresentar o disco no dia 13 de novembro no Sabotage em Lisboa, 14 de novembro no Maus Hábitos no Porto e 15 no Texas Bar em Leiria!

Mais uma vez obrigado! Querem deixar alguma mensagem?
Obrigado! Então, para quem nos quiser seguir… estamos no facebook e apareçam nos concertos e apresentação, vamos fazer Dj sets a seguir, vai ser divertido!

Sem comentários: