sábado, 11 de julho de 2015

Review: Aqui Escondido (Tiro No Escuro)

Aqui Escondido (Tiro No Escuro)
(2015, Necrosymphonic Entertainment)
(5.6/6)

Sem João Ribas, o punk rock nacional naturalmente nunca será o mesmo. Mas felizmente existem novos coletivos que, vivendo o sentimento de perda de uma dos mitos nacionais (aqui dedicando uma intro), conseguem manter vivo todo aquele espirito. Os Tiro No Escuro são um desses nomes e Aqui Escondido, o seu segundo trabalho vem, definitivamente, colocar o seu nome no patamar maior do género nacional. Aqui Escondido consegue conciliar o melhor de dois mundos: há canções de grande musicalidade, com linhas melódicas quase pop (destacam-se neste capítulo Neste Armário, Nunca Mais Irei Voltar ou Veio Para Ficar), mas também há canções com forte pendor punk, agressivas, cruas, ásperas – Infanticídio, Melhor Que Tu, Vou Fazer o Que Eu Quiser. No entanto, neste disco as coisas não podem ser postas assim de uma maneira tão linear. Musicalmente, as guitarras são contundentes, a bateria farta-se de metralhar e o baixo tem uma prestação empolgante (ouçam o seu trabalho em Nunca Mais Irei Voltar, por exemplo). Mas Aqui Escondido tem outras coisas escondidas. Uma delas é o trabalho minimalista de piano em Nunca Mais Irei Voltar (por esta altura já se percebeu que a terceira faixa é um dos pontos altos do disco!) a criar ambiências sombrias (cortesia do Sr. Sangnoir? Provavelmente!). Ainda não falamos no capítulo vocal, mas também aqui há muito trabalho feito com rigor, criatividade e que resulta em grandes momentos. Os diálogos que vão surgindo, os jogos vocais, a parada-resposta entre o vocal principal e os coros surgem frequentemente e são outras das facetas escondidas. Tudo isto que referimos são pormenores que ajudam a tornar o punk rock dos Tiro No Escuro em algo que se afasta do tradicional do género. Como surpreendente é a balada final O Meu Tesouro, só com piano, voz e coros. Romantismo e sensualidade, duas caraterísticas pouco vistas neste género mas que fecham um grande disco onde predomina a agitação e a energia de uma forma completamente inesperada. Tudo isto para referir que Aqui Escondido é um disco tão bom de rock que quase nos esquecíamos de referir que também aqui participa, embora nada escondido, o eterno Kalú.

Tracklist:
1.      Ribas
2.      Neste Armário
3.      Nunca Mais Irei Voltar
4.      Infanticídio
5.      Podes Alcançar
6.      Esta é a Tua Vida
7.      Veio Para Ficar
8.      Melhor Que Tu
9.      Vou Fazer o Que Eu Quiser
10.  Imortais
11.  O Meu Tesouro

Line-Up:
Bruno Flyer – vocais
Daniel Pereira – bateria
Filipe Trigo – baixo
Guilherme Marques - guitarras

Internet:


Sem comentários: