Entrevista: Thrust



Apesar de já cá andarem desde 1981, os últimos cinco anos foram os mais produtivos dos Thrust. Também porque foram os mais estáveis em termos de formação e sem uma série de outros problemas que afetaram o coletivo de Chicago. Por isso não é de estranhar que The Harvest Of Howe seja o segundo álbum consecutivo com o mesmo line-up e, a isto associado, mostre uma banda cada vez mais compacta. Por isso fomos falar com Ron Cook, precisamente a respeito desta nova estabilidade e deste novo disco.

 

Olá Ron! Segundo álbum em três anos é sinal de que os problemas que afetaram os Thrust estão definitivamente ultrapassados?

Olá Pedro! Obrigado pela entrevista! Sim, o segundo álbum em 3 anos, obrigado! Estamos muito animados por regressar e lançar o máximo de novos materiais que pudermos.

 

E isso é confirmado com a manutenção da mesma formação para este novo álbum, The Helm Of Awe, certo?

Sim, todos nós tocamos nos álbuns Harvest Of Souls e The Helm Of Awe! Já tocamos juntos há um bom tempo. Obrigado.

 

Como foi o vosso método de trabalho para este novo álbum e quando começaram a trabalhar nele?

Tivemos uma ótima resposta ao retorno do álbum Harvest Of Souls assim que deixamos a estrada após dois extensos anos de espetáculos. Estávamos em chamas e queríamos aproveitar essa energia e começar a escrever algum material novo.

 

Podemos considerar este como um álbum conceptual? De alguma forma, era a vossa intenção seguir este caminho?

Nós não dissemos que queríamos escrever um álbum conceptual, que apenas escreveríamos a respeito dos sentimentos e a viagem que na altura todos estávamos a percorrer. É como um filme, todas as músicas contam uma história para nós.

 

Com isso em mente, há um significado para o título do álbum, The Helm Of Awe?

Sim, se leste a letra da música final, podes ver o significado e a história de The Helm Of Awe.

 

Musicalmente, os Thrust estão definitivamente enraizados nos anos 80. Não sentem pressão ou tendência de incluir algumas abordagens mais modernas aqui e ali?

Obrigado!!! Sim, pegamos no nosso som de metal que ajudamos a criar nos anos 80 durante o nascimento do metal e elevamos ao nível de um metal moderno!!! Assim, obtemos o melhor dos dois mundos.

 

Precisamente, com a adição de um impulso novo e atualizado às suas criações...

Sim, nós progredimos e crescemos consideravelmente em composição e musicalidade com o passar do tempo.

 

Com ou sem pandemia, o que têm planeado para 2021?

Em 2021, esperamos que a pandemia seja curada e que o mundo seja um lugar melhor e possamos voltar a tocar "AO VIVO"!!!

 

Muito obrigado pelo teu tempo. Queres adicionar mais alguma coisa?

Sim, obrigada por pela entrevista e por todo o apoio dos fãs em todos os lugares. Sem vocês nós não existiríamos. Somos eternamente gratos pelo amor e apoio! OBRIGADO!



Comentários