Review: Baskavígin (INCURSED)


Álbum | Baskavígin     

Artista | Incursed   

Edição | Helheim Records    

Lançamento | 05/fevereiro/2021

Origem | Espanha

Género | Viking metal, pagan metal, folk metal

Highlights | Stole My Beer, Eusko Troll Label, Into The Curse, Patxi Porroi, Colossal

Para fãs de | Ensiferum, Korpiklaani, Turisas, Finntroll, Korpiklaani

Apreciação

Partamos deste pressuposto: Baskavígin é, de longe, o melhor disco dos Incursed! Desta vez o coletivo basco elevou o seu pagan/folk metal a um patamar de excelência que nunca tinha sido alcançado. Todo o disco é construído sobre passagens muito criativas e arranjos bastante complexos, ainda que totalmente eficazes, destacando-se a forma como o quinteto explora diferentes parâmetros, não se cingindo ao óbvio, nem à repetição. Um disco que depois de uma peça introdutória apresenta o tema título que, logo aí, deixa bem vincada a forma como os Incursed evoluíram. Aquele diálogo das duas guitarras, a forma como os blast beats são, mais tarde, introduzidos e até a utilização de vocais limpos resultam na perfeição num tema que agarra o ouvinte mais exigente. Mas a secção mais espetacular situa-se entre Colossal e Patxi Porroi e apenas dizemos para se deixarem envolver por todo o sentimento, até de algum nacionalismo basco, que povoa estas canções. São temas divertidos, épicos, mais ou menos rápidos, mais ou menos agressivos. E para o fim está guardada outra pérola que é épico de 10 minutos Saltus Eta Ager. [93%]

 

Tracklist

1-      1615 (Intro)

2-      Baskavígin

3-      Stole My Beer

4-      The Black Hunter

5-      Colossal

6-      Eusko Troll Label

7-      Into The Curse

8-      Patxi Porroi

9-      Paganauts

10-  Souls On Fire

11-  Saltus Eta Ager

PtI: Saltvs Vasconvm

Pt II: Ager Vasconvm

 

Line-up

Jon Koldo Tera – vocais, teclados

Lander Lourido – guitarras

Oier Calvo – guitarras

Haitz Etxebarria – baixo

Asier Amo – bateria

Comentários