Entrevista: Galderia


 

É certinho: de cinco em cinco anos um novo disco dos Galderia. E um novo disco de enormes melodias e corais harmónicos. Mas, para a próxima vez, Sébastien Chabot, um dos vocalistas da banda francesa que novamente acedeu a conversar connosco, promete ser mais breve. A conversa com Séb é que não foi breve e passou por muitas temáticas, para além do lançamento do mais recente disco, Endless Horizon, como podem conferir.

 

Olá, Seb, como estás? A última vez que conversamos foi há cinco anos a respeito do vosso último álbum. Desde então, quais foram os acontecimentos mais significativos no reinado dos Galderia?

Olá, Pedro! Sim! Já passou muito tempo!! O maior acontecimento com certeza foi a nossa tournée europeia com os Therion, que nos levou por toda a Alemanha, Bélgica e Holanda. E claro, a criação do nosso novo álbum Endless Horizon.

 

Bem, vocês mantêm o intervalo de cinco anos entre lançamentos. Como explicas isso?

Demoramos o nosso tempo para fazer as coisas da maneira certa. Não é uma vontade nossa ter 5 anos entre cada registo. Mas concordo, é muito tempo. Esperamos poder fazer um novo álbum talvez dentro de dois anos.

 

Com Return Of The Cosmic Men, os Galderia atingiram um nível muito alto de qualidade. Para Endless Horizon, quais foram os vossos seus propósitos e objetivos?

Obrigado! Sim, perguntamo-nos como melhorar as coisas. Mas, conseguimos. Atualizámos o nosso equipamento para as sessões de gravação e agradecemos a Simone Mularoni dos Domination Studios. O som está muito melhor neste novo álbum. Sobre a composição, os nossos objetivos eram permanecer melódicos, criar hinos, cheios de coros e poder. Na verdade, adoramos o que temos feito.

 

Sentiram algum tipo de pressão, considerando o grande sucesso do vosso álbum anterior?

Na verdade, não. Estamos muito confiantes nas nossas capacidades de fazer grandes coisas. Apenas fazemos isto. Pensar menos e agir mais.

 

Podemos dizer que neste álbum mantêm as vossas marcas registadas, mas conseguiram injetar algo novo em comparação com os álbuns anteriores?

Quando compomos músicas para um novo álbum, estamos em busca de boas músicas. Não nos limitamos a nós mesmos. Se uma ideia nos parece boa, mantemo-la. E quando combinamos todas as ideias juntas, isso cria o álbum. Portanto, o mais importante para nós é ter boas músicas. Só isso. Nós não tentamos fazer qualquer outra coisa. Galderia é poder e melodia e assim permanecerá.

 

Um dos vossos aspetos mais marcantes é o uso de múltiplos vocais. Como trabalharam esse aspeto em Endless Horizon?

Sim! Adoramos coros, melodias vocais harmónicas. É o que mais amamos. Trabalhamos como sempre. Os coros são gravados todos juntos, música por música. Isso cria uma verdadeira reunião de almas humanas a cantar para a glória da luz universal. É sempre um grande sentimento. Como no anterior, os vocais principais são feitos por mim, Tom (guitarras) e Bob (ex-baixista). Eles são ótimos cantores e seria um erro não os deixar cantar. Nós três cantamos juntos na música Gonna Change It All e com Tom cantamos em várias músicas juntos, como Heart Of Mankind e Answer The Call. Bob é o vocalista na música Burning Higher.

 

Entretanto, Bob Saliba deixa a banda. O que aconteceu?

Separamo-nos amigavelmente. É uma questão de agenda preenchida. Ainda tocamos juntos com Bob na nossa outra banda Kingcrown com o nosso querido amigo Jo Amore nos vocais. Estamos a trabalhar num novo álbum agora. Bob faz parte da identidade vocal dos Galderia e eu adoraria tê-lo novamente nos próximos álbuns. Ele também tem uma grande implicação vocal num projeto paralelo meu no qual estou a trabalhar. É uma space metal opera com os meus amigos dos Galderia nos vocais. É um projeto muito speed metal no sentido de Walls Of Jericho dos velhos Helloween ou Somewhere Out In Space de Gamma Ray. Falarei a este respeito em breve.

 

Para além disso, trabalharam com o baixista de sessão, Max Pigon. Já têm um baixista novo e permanente?

Max ajudou-nos a gravar o baixo do álbum. Desde então, temos um novo baixista, Remy, também conhecido como Mestre Shinobi. Ele já fez parte da nossa tournée europeia com os Therion como guitarrista (nessa tour apenas cantei). Por isso, voltamo-nos para ele para o baixo.

 

Outra diferença é que desta vez mudaram-se dos Finnvox Studios de Mikko & Mika para os Domination Studios de Simone Mularoni. Por que optaram por essa mudança, considerando o excelente trabalho feito no último álbum?

Adoramos o trabalho da Simone!! Mas a primeira razão é que a malta do Finnvox é muito cara. Também os adoro, mas não posso vender outro rim para financiar os álbuns dos Galderia (risos).

 

E foi um trabalho tranquilo e descontraído com Simone?

Sim!! Ele é realmente muito bom!! Um verdadeiro ser humano. Trabalhar com ele foi uma experiência muito boa. Ele é extremamente talentoso. Adoramos o que ele fez para nós.

 

Tu e o Tom foram os principais compositores? Como foi o fluxo de trabalho entre vocês os dois?

Trago as ideias básicas das músicas. Talvez um verso e um refrão, ou uma introdução, e trabalhamos juntos para criar a música em torno disso. Ele é um parceiro muito bom. O seu julgamento é focado na maneira certa de fazer uma ótima música. Gosto de trabalhar assim.

 

O álbum ainda não foi lançado há muito tempo, mas já têm ideia das reações dos fãs e da imprensa?

As reações têm sido incríveis!! A sério. Mais do que o anterior. As pessoas que gostam da banda gostaram realmente deste novo álbum. E é muito bom ter todos esses bons feedbacks. Agradecemos a todos pelo apoio e boas vibrações. É tudo o que importa para nós.

 

O que têm programado para uma tournée para promover Endless Horizon?

Estamos a trabalhar nisso e esperamos poder tocar aqui e ali no ano que vem. Não é muito fácil para uma banda francesa...

 

Muito obrigado, Seb, mais uma vez. Queres acrescentar mais alguma coisa?

Obrigado pelo teu apoio! Isso é ótimo. Se quiserem apoiar a banda, acedam à nossa loja virtual (www.galderia.net). É a melhor maneira de apoiar a banda comprando diretamente de nós na loja. Obrigado a todos!


Comentários

DISCO DA SEMANA VN2000: Insanium (WHOM GODS DESTROY) (InsideOut Music)

MÚSICA DA SEMANA VN2000: Faux Savior (BRUME) (Magnetic Eye Records)

GRUPO DO MÊS VN2000: Men Eater