Entrevista: Intelligent Music Project

Voltamos a mergulhar no mundo vibrante e multifacetado de Milen Vrabevski, a mente criativa por trás dos Intelligent Music Project. Nesta nova conversa com o filantropo búlgaro, Vrabevski fala sobre o espírito de colaboração que impulsiona o grupo, a filosofia por trás do novo álbum e a escolha do título Miracles Beyond, uma homenagem aos espíritos livres e à força interior. A entrevista revela ainda os bastidores da criação musical e os desafios e triunfos do processo criativo. Tudo traduzido na visão profunda e inspiradora do compromisso de Milen Vrabevski com a música e a sua missão de inspirar e unir pessoas através da arte. 

 

Olá, Milen, tudo bem? O que tens feito desde a última vez que conversamos, tanto no campo musical como em outras atividades?

Obrigado, Pedro, por seres sempre tão respeitador e solidário desde os primeiros álbuns de Intelligent Music Project. Não é por acaso que estás entre os primeiros a receber os nossos novos lançamentos. Como podes ver, continuamos a criar música - é a nossa força vital. Ao longo do caminho, divertimo-nos e esforçamo-nos para transmitir lições na quais acreditamos serem importantes para a sociedade. Desde a última vez que falámos, conseguimos muito: participar na Eurovisão, embarcar numa tour búlgara e europeia em nove países e lançar dois álbuns - Uncondicioned e Miracles Beyond, este último apenas a alguns dias atrás. Além disso, estou ativamente envolvido com a Fundação para a Memória Búlgara, onde me concentro em patrocinar, organizar e implementar vários programas educacionais e programas orientados para as carreiras. Estamos empenhados em abordar a questão da crise demográfica na Bulgária e apoiar os búlgaros que fazem parte da diáspora histórica noutros países. E isso é apenas um vislumbre do que temos feito.

 

Depois de três álbuns em três anos consecutivos, desta vez vocês tiveram um intervalo maior. Porquê? A intenção era recarregar baterias?

Quando fazes as coisas por paixão e não por obrigação, nunca precisas recarregar as energias. Embora o intervalo entre o sétimo e o oitavo álbum tenha sido maior desta vez, não há razão específica para isso - simplesmente aconteceu dessa maneira. Mas para te tranquilizar, já estou a trabalhar no 9º álbum (risos).

 

Miracles Beyond é o título deste mais recente álbum. Começando por aí – por que a escolha deste título e o que significa?

O álbum é dedicado aos espíritos livres - a força motriz do progresso da humanidade. É uma prova do espírito de colaboração e do poder da música para transcender limites. É sobre a viagem de autodescoberta e crescimento pessoal. Explora temas de força interior, superação de desafios e encontrar experiências que deem significado à vida. As letras retratam a realização das próprias capacidades das pessoas e os milagres que estão dentro delas.

 

Mais uma vez, contas com uma lista de músicos galáticos. Contudo, a principal ausência é a de Ronnie Romero. Por que não participou ele neste álbum?

A nossa música desenvolve-se numa direção diferente e requer um conjunto diferente de combinações vocais. Sabes quanto é importante para mim formar um grupo de vocalistas que melhor traduzam as mensagens verbais e musicais. Eu trabalhei com algumas estrelas de top do rock ao longo dos anos, e procurei sempre por aquelas que soariam mais convincentes atendendo ao novo material.

 

Quanto aos outros convidados, tens alguma estreia? Se sim, como se proporcionou?

Estamos muito familiarizados com os músicos de Miracles Beyond. É o sexto álbum de Simon Phillips connosco, o quinto de John Payne, o quarto de Joseph Williams, o segundo de Ernest Tibbs e Richie Grisman contribuiu com os vocais em quatro álbuns.

 

Ainda existe algum nome com o qual gostasses de trabalhar num futuro álbum e que ainda não tenha participado?

Nesta altura, estamos a conversar com alguns artistas intrigantes, mas manterei os detalhes em surpresa para o 9º álbum.

 

Para além destes músicos notáveis, também tens um ensemble de cordas e um coro gospel. De que forma foi trabalhada a sua inclusão no processo de criação?

Formamos um ensemble de cordas conhecido como Intelligent Music Orchestra. Esses músicos talentosos contribuíram para cada um dos nossos álbuns e são parte integrante do nosso som. O seu profissionalismo excecional tornou o seu envolvimento perfeito. Adicionalmente, o Sofia Gospel Choir tendo participado nos nossos álbuns anteriores apresentou outro excelente desempenho. Sem as suas contribuições, o álbum não teria o seu som atraente!

 

Saltando para as questões musicais, a que aspetos prestaste mais atenção desta vez?

Optei por fazer mais duetos. A variedade de linhas melódicas requer uma integridade de várias capacidades vocais profissionais com misturas vocais específicas. Eu acho que acertei na combinação.

 

Não é a primeira vez que tens num álbum músicas não escritas por ti. Mas, é engraçado porque este álbum surge dividido em duas partes, se assim podermos chamar. A primeira, com músicas criadas por ti; a segunda, com músicas da banda. Quando e por que esta ideia ganhou vida?

Com o tempo, ficamos todos muito próximos uns dos outros. Passando incontáveis horas juntos no estúdio e muitas conversas profundas fizeram-me perceber que estes indivíduos fazem parte de Intelligent Music Project não só devido ao seu profissionalismo, mas também porque eles realmente ressoam com a missão inerente ao projeto. E eu sabia que cada um deles tem algo significativo para contribuir. Foi aí que decidi dar a estes grandes músicos a oportunidade de se expressarem eles mesmos.

 

E é ótimo ver que ambos têm ideias diferentes de como a música deve soar e, portanto, as diferenças são evidentes. Foi por isso que decidiste não as misturar? Para evitar algumas variações desnecessárias que colocariam em risco o equilíbrio do álbum?

Cada um é livre para interpretar à sua maneira. Esta abordagem de separar as partes homenageia o grupo, pois as músicas que escreveram são verdadeiramente excecionais. Mesmo que possam diferir no estilo, eles continuam a ser uma parte integrante e muito importante de Miracles Beyond.

 

Mais uma vez, apresentas algumas músicas com melodias e climas que não são assim tão expectáveis. Que sonoridades diferentes tentaste experimentar desta vez?

Dei total liberdade à banda para compor e fazer arranjos. Eles escreveram 3 músicas que são diferentes do que esperarias ouvir de mim. Esta é a maneira que deve ser. Os meus músicos têm uma abordagem diferente na composição de músicas e isso torna o nosso estilo ainda mais versátil.

 

Desde quando trabalharam nesta coleção de músicas?

Já tínhamos começado a trabalhar neste álbum durante a Eurovisão.

 

Shine For You foi o vídeo de avanço. Por que escolheram essa música? Há planos para outros vídeos futuro?

A música foi escrita pelo nosso guitarrista Biser Ivanov e pelo nosso vocalista principal durante as atuações ao vivo. Slavin Slavchev, também escreveu as letras. Selecionei esta música em particular como single principal porque ressoou excecionalmente bem, oferecendo algo distinto, e eu senti que tanto Biser quanto Slavin mereciam que o seu trabalho representasse o álbum com esta capacidade. Em seguida, lançamos um segundo single, Days Rollin' com Joseph Williams como vocalista principal. Optamos por apresentá-lo através de um lyric video, para colocar ênfase no texto e na sua mensagem - uma das coisas que distinguem o projeto Intelligent Music Project.

 

Já devem ter recebido as primeiras reações? Como têm sido?

A música quase imediatamente subiu para o primeiro lugar no top da Rádio Nacional Búlgara (versão búlgara), entrou no top de uma estação de rádio grega, 104.7, onde continua a subir. Está a tocar em muitos lugares em todo o mundo e isso deixa-nos muito felizes.

 

Se tivesses que avaliar todos os teus álbuns, em que posição colocarias Miracles Beyond?

Se a lógica é que a cada álbum subsequente colocamos outros cada vez melhores, Miracles Beyond deve ocupar o primeiro lugar. Mas isso é como tentar comparar qual dos teus filhos amas mais. Simplesmente não é possível. Cada um dos álbuns traz-nos uma mensagem e tem vida própria - não posso compará-las.

 

Onde podem os vossos fãs ver-vos ao vivo a tocar este álbum?

Já apresentamos o álbum ao vivo em Varna, Bulgária. Qualquer um que o queira ouvi pode encomendá-lo no nosso site www.intelligent-music.com ou ouvi-lo no Spotify, iTunes, Amazon e todas as outras plataformas de música.

 

Obrigado, Milen! Como sempre, foi uma honra fazer esta entrevista. Queres enviar alguma mensagem aos teus fãs portugueses?

Adoramos-vos e obrigado pelo apoio!


Comentários

DISCO DA SEMANA #29 VN2000: Blood On Canvas (DARKNESS) (Massacre Records)

MÚSICA DA SEMANA #30 VN2000: Nocturne (SUNBURST) (Inner Wound Recordings)

GRUPO DO MÊS #07 VN2000: .CRUZAMENTE