quarta-feira, 4 de fevereiro de 2009

Entrevista com Switchtense


A estreia dos Switchtense não poderia ser mais empolgante. Confrontation Of Souls, editado recentemente pela Rastilho promete dar que falar pela sua intensidade e poder sónico. Via Nocturna quis saber tudo sobre a banda, que em Fevereiro é Grupo do Mês, e a sua obra e foi falar com o vocalista Hugo Andrade. Aqui fica o resultado.
VIA NOCTURNA (VN): Havia muita expectativa para este vosso lançamento. Sentiram muita pressão na altura de gravar Confrontation Of Souls?
SWITCHTENSE (SWT): Obrigado ao Via Nocturna pela oportunidade dada para conversarmos acerca do álbum! O processo de composiçao do disco foi feito com a maior das calmas e descontrações! Não quero dizer com isto que foi tudo pacifico, não....a questão é que como não tinhamos obrigações com ninguém a não ser connosco próprios, fomos compondo o álbum ao nosso ritmo! As ideias iam aparecendo, eram gravadas, ouvidas mais tarde, mudadas quando eram preciso ser mudadas...enfim, o processo normal! Contudo pressão não existiu. Foi tudo muito natural e contínuo!
VN: Após um EP auto-financiado, como vêm a vossa evolução para este novo álbum?
SWT: A forma como foi feito o EP difere totalmente da maneira como trabalhamos em Confrontation of Souls. As mudanças de formaãao aconteceram entrentanto e por estas diferenças já notámos uma evolução brutal! Vemos o álbum como uma nova etapa na nossa carreira... Reformulámos ideias, corrigimos erros feitos no passado e sobretudo, depois de tanto tocarmos ao vivo, crescemos enquanto músicos e tudo isso permitiu a uma evolução no som da banda! Desta vez tivemos o apoio da Rastilho para a ediçao do cd e o excelente trabalho do Joao Diogo no artwork, o que eriquece e de que maneira o trabalho final!

VN: Brainwash Show já, na altura, vos proporcionou alguma projecção. Que expectativas têm para este novo disco, sendo que também será distribuído na Alemanha e Holanda?
SWT: Sim o EP permitiu-nos chegar a muita gente, quer a nível de cd como em concertos! Penso que toda essa intensa actividade ao vivo fez com que evoluissemos bastante nestes 2 anos! As expectativas sao as melhores...Temos a consciência do trabalho sincero e profissional que fizemos neste disco! Sabemos que temos aqui um bom disco nas mãos, e apesar de ser apenas o primeiro, pensamos que é um excelente cartão de visita e mostra bem a nossa vontade e o nosso querer estar na música! Queremos levar o nome da banda, e este disco o mais longe possível!
Alemanha e Holanda parecem-nos um óptimo começo!

VN: Para a mistura e masterização escolheram o Daniel Cardoso, um nome muito requisitado actualmente. Consideram que era a pessoa ideal para sacar todo o poder da vossa sonoridade?
SWT: É uma pergunta já recorrente mas que não nos cansamos de responder: o Daniel funcionou aqui como mais um elemento da banda. Ele e o Pedro Mendes que também trabalha nos Ultra Sound Studios. Ele é responsavel por uma grande percentagem dos óptimos trabalhos que se têm feito a nivel de metal em território português e como a nossa aposta era forte, queriamos gravar o material que tinhamos em mãos, com o maior rigor possível! Para fazer isso só sabiamos um nome: Daniel Cardoso! Como tal, a nossa ida para Braga durante 15 dias para gravar o álbum foi uma escolha obrigatória ! E em boa hora o fizemos...

VN: Os Switchtense são agora um quinteto, sendo que só passaram a contar com dois guitarristas a partir da entrada de Neto, em finais de 2006. Sentem-se mais confortáveis com dois guitarristas?
SWT: Com a entrada do Neto ganhamos outro fôlego e outra dimensão para trabalharmos! É um guitarrista que já tinha a onda de tocar que gostávamos e foi muito fácil a sua adaptaçao à sonoridade que estávamos a fazer.... Depois com ele, começámos a explorar outro tipo de coisas, e as músicas para o álbum começaram a ganhar forma! Nesta altura, são imprescindiveis as 2 guitarras... Com a entrada do Neto apurámos a nossa música e conseguimos fazer coisas que até ele entrar não seriam possiveis!
VN: Consideram esta a vossa formação mais estável?
SWT: Sem dúvida alguma... Estamos em grande forma actualmente! Tanto a nível musical como pessoal! Somo uma família e tamos todos com muita vontade de levar o nome SWITCHTENSE a muitas paragens! Não nos queremos restringir a Portugal e quando dizemos que não queremos é porque vamos procurar a sorte lá fora e não vamos ficar a espera que as coisas aconteçam! Temos que aproveitar a embalagem e neste momento, estes 5 tipos que fazem os SWITCHTENSE estão no mesmo barco! Isso poderá fazer toda a diferença...

VN: Xinês foi o último elemento a entrar. Ainda veio a tempo de colocar algum in-put na composição de Confrontation Of Souls?
SWT: Claro.... O Xinês entrou numa altura em que já tinhamos alguns dos temas compostos para o álbum! Mas com ele ainda fizemos temas novos. Tivemos cerca de 4 meses de ensaios com o Xinês para preparar a gravação, e durante esse tempo compusemos músicas para o álbum também! A maneira dele tocar encaixou perfeitamente no que queriamos para os nossos temas. Ele toca exactamente como nós queriamos que a coisa soasse... é perfeito! Gravámos o disco todo na sala de ensaios antes de irmos para Braga e penso que esse trabalho foi essencial para preparamos bem o disco! Depoios todos os pormenores são da cabeça do Xines. Ele é muito criativo e o felling dele é exactamente aquele que as nossas músicas precisavam! Foi grande simbiose!

VN: De que trata, em termos líricos, esta vossa obra?
SWT: Liricamente é um disco negro... mas que deixa em aberto que algo de positivo se pode passar! É só uma questão de querermos! Os temas trazemo-nos cenários de caos, destruição, confronto, revolução, resistência etc.. São letras que criticam o actual estado das coisas, dão pistas para soluções de alguns problemas, ou que pelo menos pensamos que possam ser... Mostram-nos que por vezes teremos que destruir para recomeçar de novo e com mais força e persistência! De um confronto de ideias, nascem outras ideias e isso é a solução para evoluirmos...

VN: Apesar de ainda não estar à venda para o público [na altura da realização das questões], têm já alguma noção das reacções por parte, nomeadamente da imprensa?
SWT: [Na altura que respondo a tua pergunta o álbum já saiu] Já começamos a ter as primeiras impressões de pessoas que vão comprando o álbum! Elas vão passando pelo myspace e vão deixando a sua ideia... Tem sido fantástico! Quanto à imprensa, vão começar a aparecer as reviews, entrevistas etc... O Via Nocturna foi o primeiro a publicar uma review ao álbum. Agradecemos por isso!

VN: Em termos de apresentação ao vivo de Confrontation Of Souls, o que nos podem adiantar, desde já?
SWT: O disco foi apresentado no passado dia 31 Janeiro no In Live Caffe na Moita e foi uma grande festa de lançamento! A casa estava cheia e o concerto foi brutal. Resolvemos tocar o disco todo pela mesma ordem que está no CD e sentimo-nos muito bem a fazê-lo! As pessoas reagiram muito bem.. foi muito boa a noite! Tivemos amigos de vários pontos do país que nos visitaram nesta noite inesquecível para nós! Vendemos muitos cds e t-shirts, o que para uma banda como nós, é um excelente passo e uma grande vitória! Estamos a partir de agora a trabalhar com a Hell Xis e eles são os responsaveis pelo nosso agenciamento! Agora vêm ai mais datas, o melhor é visitarem o myspace para estarem actualizados!

VN: OK, obrigado e felicidades!
SWT: Obrigado ao Via Nocturna por todo o apoio!

2 comentários:

NIGHTSHADE disse...

Boa entrevista,estou curioso em ouvir o novo album desta poderosa banda,continuem assim pessoal com o som brutal!!!
Abraço a todos!!!

NIGHTSHADE!!!

Anónimo disse...

Amusing question