sexta-feira, 21 de agosto de 2009

Entrevista com Skewer


Time, Patience And Hopes é a segunda edição em formato digital pela francesa Believe dos Skewer. O trio nacional assume, desta forma, mais veementemente a sua internacionalização e a propósito disso fomos conhecer melhor a banda.


Apesar de jovens, apenas 4 anos de existência, Time, Patience And Hopes é já a segunda edição em formato profissional. Tem sido fruto de muito trabalho, provavelmente?
Sim, Skewer é uma banda relativamente jovem, mesmo com a aposta em muitas rádios e MTV ainda a muito caminho por percorrer, pelo facto da vida das pessoas hoje serem muito preenchida e a música ser algo esporádico, é preciso muito trabalho para que a música chegue até elas. Às vezes podem ter até ouvido um tema, mas não sabiam de que banda se tratava. E aos poucos vamos chegando lá. Acho que gravar um primeiro CD depois de um Ep em 2007, Whatever, e um CD-Single em 2009, Drift Away From Here, era o momento ideal para editar o primeiro álbum, mesmo que esse fosse em formato digital unicamente.


Ainda por cima, os vossos discos tiveram edição por uma editora estrangeira, no caso a francesa Believe. Como se deu o contacto com eles?
A primeira apresentação foi feita pelo nosso publish Lx Music Publishing, após isso mostramos o Whatever à Believe, eles gostaram e apostaram. Diziam que havia muitas boas ideias ali, que a banda de certeza iria amadurecer bastante num próximo lançamento, então fecharam connosco um contracto de 4 anos.


Ambos os vossos trabalhos têm apenas edição digital. Era essa uma pretensão vossa ou foi uma exigência da editora?
Na verdade a Believe só faz edições digitais e como conseguem chegar a todo o globo, tem as melhores lojas online e até editoras nacionais como a Rastilho Records e grandes editoras internacionais como a Fargo e a Listenable Records de bandas como Gojira, Immolation, Incantation, que também apostaram na ajuda da Believe. Mas sinceramente gostávamos de ter uma edição física do álbum para por nas lojas de rua; porém o mercado hoje não esta favorável às editoras, o que dificulta um lançamento no formato físico. Apesar de que um CD físico hoje serve mais para promoção de uma banda do que para venda.

E qual a vossa opinião a respeito deste tipo de edições, sabendo que os fãs, de um modo geral, gostam de algo mais físico?
Como estávamos a referir, as pessoas hoje não compram CD's , pois os valores são altos e não possuem condições para tal luxo. A internet está ai para ajudar na promoção; porém muita gente usa para se beneficiar fazendo downloads dos álbuns através de partilha de ficheiros. Não importa o tamanho do artista mas penso que as bandas mais novas sofrem mais por que perdem contractos com mais facilidade e outras nem chegam a ter este tipo de apoio. Este formato digital já está a ser aceite em muitas partes do mundo; vemos a França como o maior exemplo disso e muitas bandas grandes como Metallica ou Radiohead que estão a fazer o lançamento digital primeiro e depois físico. Os Radiohead até estão a aceitar a ideia melhor, pensando em só editar trabalhos nesse tipo de formato. É importante que as revistas também apoiem este tipo de lançamento.



Considerando que o novo álbum contem os temas Wash You Away II e Save Me From Myself (Remix), será lógico considerar este Time, Patience And Hopes como a continuação natural de Whatever?
Penso que é uma evolução. Estas músicas sofreram mutações e as novas nada são semelhantes aos de Whatever. Tivemos um concerto agora nas festas do Barreiro, no qual actuamos como headline subimos ao palco por volta de 1:20 da madrugada de Domingo e ficamos felizes por ver que muito pessoal a fazerem um esforço para ver Skewer, sabendo que se tratava de um domingo e a segunda iria ser cansativa, pois muitos trabalham, foi muito bom pois não precisamos tocar mais cedo para ter um público, mesmo que esse não fosse totalmente direccionado à banda.


Neste trabalho verifica-se o recurso a diversos convidados. Era vossa intenção desde o inicio socorrerem-se de elementos exteriores aos Skewer ou, pelo contrário, o desenrolar dos temas pediram a inclusão de convidados?
Fizemos os temas mais achamos que alguns deveriam ter convidados. Era para ter tido 4 artistas, mas nem tudo corre como queremos, ficou reduzido a 2 que foram os melhores que podiam aparecer; são artistas de grande reconhecimento de público e media, como o caso de Sam Forest dos Nine Black Alps e da Ana Malhoa já consagrada pelo sua história na música. O que mais me impressionou foi a simplicidade e a humildade desses artistas. Sabiam que a gente não lhes poderia dar muito em questão de além fronteiras, mas mesmo assim deram uma grande contribuição e esforço da parte deles.

Dentro do grupo de convidados, o mais improvável será mesmo a Ana Malhoa. Como chegaram ao contacto com ela e como é que ela se adaptou a cantar rock em inglês?
A Ana é uma pessoa super acessível, desde o primeiro email foi sempre uma pessoa espectacular, tem uma agenda bastante preenchida, estava a preparar a promoção do álbum dela e mesma assim arranjou tempo, trabalhou no tema e foi ao estúdio connosco. A cena do inglês tanto para ela como nós portugueses ou brasileiros, pois em Skewer há um brasileiro, não é a nossa língua mãe; porém todos conseguimos adaptar-nos a ela e a Ana Malhoa já havia passado por experiência parecida, quando interpretou um tema de uma banda Alemã, que também canta também em inglês.


Em termos de concertos, como está a vossa agenda?
Reduzimos ao máximo pois é complicado conseguir concertos com boas condições e na música hoje têm que existir bons contactos e saber onde apostar. Por tanto não vamos lança-nos de cabeça sem saber onde vamos cair, por isso as coisas estão a ser feitas com bastante calma, temos mais uma data em Portugal este ano no Side B Club em Benavente e depois vamos fazer duas datas em Espanha e 3 em Bélgica, por enquanto é esta a agenda de Skewer para 2009.


Em termos de médio/longo prazo, quais são os vossos projectos?
Neste momento é continuar a promover o primeiro CD TIME PATIENCE AND HOPES, continuar a trabalhar no nome Skewer, e ver até onde conseguiremos nos aguentar, pois a luta é constante e difícil.


Obrigado.
Nós que agradecemos o seu apoio, esperamos que o seu blog e programa continuem a crescer e que Skewer continue a fazer parte deles. Aproveitamos para convidar aos leitores do Via Nocturna a visitar o www.myspace.com/skewerband e conhecer os Skewer.

Sem comentários: