quarta-feira, 16 de dezembro de 2009

Review: Sing Along Songs For The Damned & Delirious (Diablo Swing Orchestra)

Sing Along Songs For The Damned & Delirious (Diablo Swing Orchestra)
(2009, Ascendance)


Para começar, importa referir que fazia falta ao mundo do metal um grupo com as características dos Diablo Swing Orchestra (DSO). A sua capacidade de introduzir uma dinâmica alegre no seu metal, por vezes até bem negro ao nível do trabalho de guitarras, é assinalável. Este Sing Along Songs For The Damned & Delirious é o segundo trabalho da carreira do grupo e surge dois anos após a bem sucedidada estreia The Butcher’s Ballroom e o que se pode dizer é que se a fasquia estava colocada demasiado alta depois das boas indicações deixadas ela foi completamente superada. O colectivo volta a apresentar todas as virtudes da estreia mas potencia-as e eleva-as a um patamar superior de qualidade e criatividade. Em Sing Along… os DSO conseguem fazer-se despir de alguns elementos eventualmente supérfluos que exibiam no seu passado e agora toda a sua estrutura musical é pura e simplesmente genial. Com uma variedade impressionante de recursos à sua disposição, quer ao nível vocal (registos sopranos, barítonos, declamações, gritos) que ao instrumental (percussões, violoncelo, metais, acordeão) o grupo foi suficientemente inteligente para construir temas diversificados onde esses recursos foram usados de forma extremamente criteriosa. Ganha com isso todo o disco que assim transmite ao ouvinte uma sensação de imprevisibilidade. E esta verifica-se, por exemplo, nas diversas área musicais que os DSO conseguem incorporar no seu metal progressivo: jazz, swing, tango, clássico, ópera, polka, salsa. Destacar algum tema é impossível porque cada um deles apresenta particularidades que os torna únicos e irrepetíveis. Por isso, simplesmente sentem-se e deixem-se conduzir pelos fantásticos jogos vocais, pelos ritmos circenses, pelos arrebatadores apontamentos de violoncelo, pela força e sensualidade dos metais, pelo sublime solo de clarinete ou pelos tons 007eanos em Ricerca Dell’Anima. Ou então, simplesmente dancem e deixem toda esta energia positiva fluir. Genial! De facto, o metal precisava de um grupo assim.


Tracklist:
1. A Tap Dancer’s Dilemma
2. A Rancid Romance
3. Lucy Fears The Morning Star
4. Bedlam Sticks
5. New World Widows
6. Siberian Love Affairs
7. Vodka Inferno
8. Memoirs Of A Roadkill
9. Ricerca Dell’Anima
10. Stratosphere Serenade


Line up: Ann-louice Wolgers (vocais), Daniel Hakansson (vocais e guitarras), Pontus Mantefors (guitarras e sintetizadores), Johannes Bergion (violoncelo), Andreas Halvardsson (bateria), Anders Johansson (baixo)
Myspace: www.myspace.com/diabloswingorchestra
Edição: Ascendance (http://www.ascendancerecords.com/)
Nota VN: 19,5 (1º)

1 comentário:

Anónimo disse...

19,5? Ha! Talvez o Butcher's Ballroom...