sexta-feira, 26 de março de 2010

Review: Horn Triskelion (Gwydion)

Horn Triskelion (Gwydion)
(2010, Trollzorn)

Embora muitos povos nórdicos, denominados de bárbaros, tenham visitado e permanecido na nossa península, não há registo que os Vikings por cá tenham estado. Mas isso não impede que o sexteto denominado de Gwydion, não manifeste a sua paixão e interesse pela sua história bem como pela cultura celta. Daí até passar estas temáticas para o seu metal foi um pequeno salto que se concretizou em três demos (Debt To Morrighan, de 1998; First Channeling, de 2000 e Augmentation, de 2001) e um álbum Ynys Mon (de 2008). Com um nome estabelecido no nosso país e com a excelente amostra do álbum de estreia, os Gwydion assinam pela germânica Trollzorn para a edição internacional da estreia e, agora dois anos passados, do seu sucessor Horn Triskelion. E realmente esta nova proposta vem provar que o longo crescimento e desenvolvimento pelo qual a banda passou surtiu os seus efeitos. Horn Triskelion mostra-nos uns Gwydion claramente dominadores dos terrenos que pisam, conseguindo criar um álbum simultaneamente belo, poderoso, étnico, fantasioso e épico. No seu cruzamento entre o folk, o celta, o viking e o metal, a banda nacional assume, sem esquisitices, todas as suas influências e coloca-as em campo numa batalha que joga, definitivamente, a seu favor. Os coros são fabulosos, as prestações vocais femininas ajudam a criar uma áurea de glória quase celestial, o recurso a instrumentos como acordeão, flauta ou gaita-de-foles e as melodias guerreiras evocam tempos ancestrais. Os Gwydion conseguem ainda, simultaneamente manter uma postura festiva e alegre (From Hel To Asgard ou Mead Of Poetry) que contrasta com outros momentos extremamente negros e quase a roçar um black metal sinfónico (Cold Tempered ou The Terror Of The Northern). E neste jogo de equilíbrios mantêm a sua postura intocável, demonstrando que não é necessário ser nórdico para executar, na perfeição, este tipo de sonoridades. Em Ofiússa (A Terra das Serpentes), naquele que é o primeiro single, assinam um dos mais belos momentos do álbum, com um excelente jogo vocal e fantásticas harmonias onde a utilização do português se revela uma aposta perfeitamente vencida. Outro momento alto acontece em Six Trials To Become A Berrzerker, a faixa que fecha de forma deliciosa uma proposta de calibre internacional e que deverá colocar, se houver justiça, o nome de Gwydion, definitivamente, no lugar mais alto do metal europeu.

Track List:
1. The Departure
2. Fara I Viking
3. From Hel To Asgard
4. Ofiússa (A Terra das Serpentes)
5. Mead Of Poetry
6. Triskelion Horde Is Nigh
7. Odhinn’s Cult
8. At The Sumbel
9. Cold Tempered
10. The Terror Of The Northern
11. Six Trials To Become A Berrzerker
Line up: Ruben Almeida (vocais), Daniel César (teclados), Miguel Kaveirinha (guitarra solo), João Paulo (guitarra ritmo), Vitor César (baixo), Luís Abreu (bateria)

Internet:
www.myspace.com/gwydionmetal
www.youtube.com/gwydionmetal
twitter.com/gwydionmetal
www.reverbnation.com/gwydion
www.lastfm.com.br/music/Gwydion

Edição: Trollzorn (
http://www.trollzorn.de/)

1 comentário:

Anónimo disse...

De facto, álbum GENIAL!!! 10/10!