quarta-feira, 13 de outubro de 2010

Entrevista com Phenomena


Os mais velhos ainda se devem lembrar da trilogia dos Phenomena editada em finais dos anos 80/inícios dos anos 90. Tom Galley, o principal criador do conceito está de regresso, como sempre, com um conjunto de convidados de superior qualidade técnica. Blind Faith, é já a segunda parte de PsicoFantasy e foi o mote para uma rápida conversa com o Sr. Galley, ele próprio, onde o criador não se esquivou a falar do seu passado.

Porque o regresso do projecto Phenomena após tantos anos?
Após as três primeiras partes de Phenomena tive problemas com meu agente e, posteriormente, com a Parachute Music que havia adquirido todo o catálogo. Nessa altura, deixei de acreditar na indústria musical e tive alguns problemas de saúde que me fizeram andar dentro e fora do hospital por algum tempo. Depois em 2005 sofri um acidente terrível, que me deixou com uma fractura nas costas, mas felizmente durante esse tempo eu encontrei um bom parceiro na pessoa de Khalil Turk da Escape Music que se traduziu no anúncio de uma nova era de sucesso. Infelizmente, em 2008, após uma curta doença Mel faleceu e já não pode participar nos projectos futuros.

Nos álbuns anteriores dos Phenomena os convidados são principalmente da cena do hard rock britânico. Actualmente, é mais um projecto internacional. Como se reflecte isso na sonoridade do novo material?
Como nos álbuns anteriores cada artista traz os seus talentos individuais para a música e eu senti que o álbum precisava de uma perspectiva mais internacional. Usando esses artistas as faixas ficaram com mais ressonância.

E foi fácil ter todos estes músicos a trabalhar num único projecto?
A organização dos artistas foi feita por Khalil Turk, mas a ligação posterior e comunicação com os artistas foi feito pessoalmente por internet e telefone.

Como tem sido a reacção dos fãs antigos e a aceitação dos novos?
As reacções iniciais foram positivas e as avaliações que tenho lido têm sido excelentes. O tempo dirá.

Há alguma hipótese de termos o projecto Phenomena ao vivo?
Estou actualmente a trabalhar numa nova fase deste projecto, uma reminiscência de Phenomena 1 e Psycofantasy, que deverá estar pronto em 2011/12, e esperemos que este projecto seja apresentado ao vivo.

O processo de escrita foi todo da tua responsabilidade? Qual foi a contribuição dos músicos convidados?
Os músicos têm parâmetros para o trabalho, mas eles trazem o seu próprio estilo para as músicas

A história de PsicoFantasy termina agora ou vai ter continuação?
Ela vai continuar de uma forma ou de outra.

Sem comentários: