sexta-feira, 8 de outubro de 2010

Review: Days Of Defiance (Firewind)

Days Of Defiance (Firewind)
(2010, Century Media)

Ao sexto álbum de originais, quarto para a Century Media, os gregos Firewind voltam a colocar em cima da mesa os predicados que fizeram do colectivo um dos nomes mais respeitáveis da cena helénica. Days Of Defiance é uma rodela cheia de excelentes malhas que homenageia, e de que forma, o mais tradicional heavy metal. O álbum inicia-se de uma forma muito helloweenesca, em The Ark Of Lies, com um bombo duplo extremamente rápido, riffs bem heavy e vocais bem puxados. Este poder sónico vs. melodia voltar-se-á a ouvir lá mais para a frente em Heading For The Dawn. World Of Fire surge-nos mais compassada mas mantendo uma batida muito forte com ritmos mais fragmentados. Em Chariot, surge uma outra referência: Iron Maiden. Os ritmos, melodias e cavalgadas aproximam agora os gregos dos britânicos. A diversidade de Days Of Defiance fica demonstrada em Embrace The Sun, uma das melhores faixas, em toadas claramente hardrockeiras. The Departure é um curto interlúdio psicadélico para a já referida Heading For The Dawn. Em Broken, a banda introduz uma nova variável: os apontamentos acústicos num tema com um refrão de puro e bom heavy metal. Esses pormenores acústicos servem de abertura, também, para a faixa seguinte, Cold As Ice, mais um tema com riffs muito heavy, a meio tempo e com um refrão muito forte em termos de melodia. Kill In The Name Of Love traz-nos mais umas cavalgadas e vocalizações maidenianas e com um dos mais belos solos de todo o trabalho. SKG é um instrumental que serve para Gus G. e Bob Katsionis se degladiarem entre si com monstruosos solos, num tema que se aproxima do trabalho dos Royal Hunt. E se Losing Faith, com a introdução de pequenos apontamentos electrónicos, parece fazer antecipar um final mais frouxo, isso não acontece porque The Yearning volta a acelerar tendo por base uma agradável melodia das guitarras e com Apollo Papathanasio a ter um dos desempenhos mais exigentes. O fecho com When All Is Said And Done, mostra-nos uns Firewind confiantes e competentes, criando um excelente momento de heavy metal com momentos rápidos a alternar com outros mais calmos, numa estrutura ao nível de uns Sonata Arctica. Pelo exposto, facilmente se infere que Days Of Defiance é um dos melhores discos do seu segmente neste ano, curiosamente, próximo dos seus compatriotas InnerWish (No Turning Back), podendo afirmar-se que o bom e puro heavy metal, afinal, está muito bem entregue e continua bem vivo.

Tracklist:
1. The Ark Of Lies
2. World On Fire
3. Chariot
4. Embrace The Sun
5. The Departure
6. Heading For The Dawn
7. Broken
8. Cold As Ice
9. Kill In The Name Of Love
10. SKG
11. Losing Faith
12. The Yearning
13. When All Is Said And Done

Line up:
Apollo Papathanasio – vocais
Gus G. – guitarras
Petros Christo – baixo
Bob Katsionis – teclados
Michael Ehré – bateria

Internet:
www.myspace.com/firewind
http://www.firewind.gr/

Edição:
Century Media

Sem comentários: