quarta-feira, 5 de janeiro de 2011

Review - Ruína (Aires Ferreira)

Ruína (Aires Ferreira)
(2010, Sanatório)

Depois de uma penosa espera, eis que, finalmente, chega Ruína, primeiro longa duração em nome individual de Aires Ferreira (SIE, Lagnia, Inner Helvet). Gravado em 2009, no Orion Studio (Covilhã), o álbum contém textos do livro com o mesmo nome e alguns textos mais antigos (dos livros Carne [2004] e Fome [2007]). Para este álbum ainda não está previsto um formato físico, pelo que o download gratuito é a única forma de obter este trabalho, disponível desde o dia um de Novembro de 2010, através do site da Sanatório Prod, editora responsável pelo seu lançamento. Aires Ferreira é um dos primeiros a fazer spoken word em português e já tinha editado o EP Palavras Mal Ditas (em 2009) e o single Apneia, ambos em formato digital através da Necrosymphonic Entertainment e que em Ruína apresenta um disco muito pessoal, declamando, numa forma musicada, as suas poesias. E de tão pessoal é este disco que podemos sentir os diversos estados de espírito do escritor. Ora de uma forma mais calma, ora mais agressiva, ora sussurrando, ora gritando e berrando, as faixas são, acima de tudo, representações do seu íntimo. Uma forma de Ferreira expurgar todo o seu sentimento e visão pelas coisas que o rodeiam. Não sendo metal, Ruína é um trabalho muito forte liricamente, carregado de uma densa áurea negra ao nível poético, e até instrumentalmente, independentemente da escassez sonora presente. E que por isso mesmo poderá agradar a muitos fãs deste género pela sua postura e atitude irreverentes, palavras assertivas, desafio constante ao espectador/ouvinte e desfragmentação do rock, permitindo experimentalismo que vai das mais minimalistas notas até à fúria do metal.

Tracklisting:
1. Est
2. Filosofia Narcótica
3. Bloco de Assofrimentos
4. O Pato
5. Olheiras
6. Fundo
7. Carpe Diem O C** Que Te F**
8. Ruído
9. Negro
10. Arcanus
11. Rito
12. Danças

Lineup:
Aires Ferreira – vocais
Arcanus – todos os instrumentos

Participações especiais:
A. S.
Impious

Internet:

Edição: Sanatório

Sem comentários: