quinta-feira, 3 de fevereiro de 2011

Entrevista - Roger Miret and The Disasters

Continuando a nossa volta pelas sonoridades mais orientadas para o punk, chegamos a Roger Miret and The Disasters, que acabam de publicar Gotta Get Up Now, o seu quarto álbum de originais. Trata-se, mais uma vez, de uma belíssima demonstração de honestidade e ética associada à música, aqui confessada pelo próprio Roger.

Para começar, podes contar-nos um pouco da história dos The Disasters?
Bem, nós existimos há cerca de 10 anos e acabamos de gravar o nosso quarto álbum para a People Like You Records, intitulado Gotta Get Up Now.

Como veem e sentem este novo álbum, Gotta Get Up Now?
Adoro-o!. Estamos muito orgulhosos deste disco. É o resumo de todo o meu amor por esta música. Este acaba por ser a banda sonora da minha vida. As bandas que me influenciam nos AF e nos The Disasters acabam por eatsr todos presentes neste registo. Eu cresci com o punk e com o HC e é isso é o que eu sou.

Nas vossas letras, há muita honestidade e abordagem social. Acham que, na verdade, num mundo de crises financeira e social, a vossa opinião tem cada vez mais importância e atualidade?
Eu sinto que é importante manter a honestidade na música. As pessoas precisam estar cientes do que está a acontecer. O Punk representa tudo sobre mudar e ser consciente. Eu mantenho isso perto do meu coração, por isso, tudo o que eu cantar é real.

Gotta Get Up Now, é considerado um código de ética definido em música. Como se revêm nessa classificação?
É exatamente o que é. É apenas uma declaração que usamos para motivar as pessoas. Às vezes os fãs estão em baixo e esquecem porque se refugiam na música. Mas não é sobre o que é cool ou roupas. Nada dessas tretas. É sobre cometer erros por nós próprios. Ajudar. Ser justo porque nós amamos esta música.

Tu és visto como uma lenda da cena hardcore de Nova York. Como vês o atual cenário na tua cidade ou mesmo no mundo?
A cena punk está tão forte como sempre foi. Há milhares de jovens a tocar essa música e a vivê-la. Pode não ser popular ou cool no momento, mas vai-se mantendo em alta.

O que diferencia, atualmente, os The Disasters das outras bandas de street punk?
Não somos verdadeiramente diferentes, mas vivemos para a música. Estamos nisto há mais de 10 anos. Tocamos porque gostamos. E somos tão honestos quanto podemos ser.

Vocês trabalharam com o Street Dogs Johnny Rioux, tal como os vossos companheiros de editora Flatfoot 56. Atualmente é o melhor homem para trabalhar este tipo de som, na tua opinião?
Ele é um amigo de longa data da banda e nós trabalhamos muito bem juntos. Eu conheço-o desde que ele estava nos AL, por isso temos uma história em comum. Ele entende perfeitamente a nossa banda e a nossa música.

O que está planeado para levar Gotta Get Up Now para a estrada?
Nós vamos para a estrada. Estamos prontos para ir. Nós temos datas próximas na Europa e outras planeadas para os EUA. Tocaremos com alma porque realmente acreditamos na nossa música e na mensagem do álbum.

A terminar, queres deixar algumas palavras para os fãs Portugueses?
Eu realmente gostaria de agradecer pessoalmente a todos vocês pelo apoio contínuo ao longo dos anos. A música existe devido aos fãs, por isso sem vocês nós realmente não éramos nada, e eu estou, realmente, ansioso para ir a Portugal com os The Disasters. Por isso visitem o nosso Facebook e comprem o novo disco. Ele foi escrito para vocês.

Texto escrito conforme o Acordo Ortográfico - convertido pelo Lince.

Sem comentários: