Review - Bent Beak (Godofe Keios)

Bent Beak (Godofe Keios)
(2010, Edição de Autor)

Oriundos de Évora, chegou-nos às mãos o mais recente trabalho de Godofe Keios uma banda que diz fazer folk metal nonsense baseado numa mitologia criada por eles próprios. Segundo eles próprios, os Godofe Keios são Vikings maltrapilhos com tribais fatelas e armaduras enferrujadas de madeira. São oriundos de Raiktapartah, falam o Tapartikoh, uma espécie de Luso-Inglês mal escrito e sem grandes regras, e homenageiam o grande Deus Halibute. Bent Beak é o segundo trabalho da segunda era da existência da banda, e a primeira sensação que fica é pensar se este conjunto de vikings deve ou não ser levado a sério. Uma forma de descrever este bizarro coletivo será referir que se trata de um cruzamento entre os Haggard e qualquer tuna académica. Existe ironia, existe folia, existe gozo, existe farra, existe sarcasmo, existe palhaçada. Mas por outro lado, existem um conjunto de canções de excelente cariz técnico e muito bem construídas, denotando um enorme sentido de criatividade e de criação. Há alguma influência clássica e folk (como no citado coletivo germânico) com misturas vocais que vão desde o mais limpo aos guturais e com os coros a assumirem um papel de extrema relevância e a denotarem trabalho apurado a esse nível (ouça-se, por exemplo a introdução ou Halibut o Deus de Tudo que é Bom). Depois, a parte lírica atira-nos para o tal sentimento menos sério, com diversos momentos a serem verdadeiramente hilariantes, como The Everlasting Storie Of Johnie. Mas em termos de hilariante temos que referir a apoteose que é a desconstrução de Let It Be em Mijah’s Song ou a costela Bee Gees em Ofe Egill Pikallagrissom. O álbum está disponível para download no site do grupo e o conselho que vos damos é que o baixem e descubram este trabalho por vocês próprios, porque tudo que seja aqui escrito, seguramente, nunca conseguirá descrever todas as sensações que a audição de um trabalho desta natureza transmite.

Tracklisting:
1. Intro - Bent Beak (Olhai Por nÓs Uide Da Leizi Ai)
2. The Everlasting Storie of Johnnie
3. Behold The Marauanders
4. Olaf's Dreams
5. Fire of the Oak Upon The Rune of the Winter Solstice
6. Hammer of the Gods
7. Mija's song
8. From Raik to Tapartah
9. Halibut o Deus de tudo o que é Bom (Acústico)
10. Ofe Egill Pikallagrissom
11. Ridiculum Requiem Reencarnatum
12. Perdão do Viking
13. (Bonus Track) - Ofe Egill Pikallagrissom (Versão Power Metal)

Line-up:
Lord Viking Nakouna (vocais)
Junnas Anti Tonnieekos (guitarras/vocais)
Sven Moller-Fah (bateria)
Kollskegg Partt’ukuh (baixo)
Olaf Azmun-Bikoh (guitarras)
Ulfar Khaggar (teclados)

Internet:

Comentários

  1. AAARGH!

    É com grande satisfação e sensação de estar desenratado que leio esta review sobre o nosso conjunto e as nossas modas! Agradecemos imenso a publicidade e as boas palavras (para além de algumas incoerências técnicas... eheh), espero que daqui a pouco tempo já haja mais blogs a seguir o vosso exemplo :)
    Que Halibut vos acaricie!

    Olaf

    ResponderEliminar
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  3. !!!!

    O poder de Godofe acompanha-nos a todos e que Halibut olhe por nós!

    ResponderEliminar

Enviar um comentário